TCE


A proposta foi apresentada pelo candidato Alisson Leão em visita à unidade da UEA

Nesta quinta-feira (9/11), em reunião com os engenheiros da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o candidato a presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Amazonas (Crea-AM), Alisson Leão, garantiu que irá desburocratizar a instituição, colocando-a no Século XXI entre as mais funcionais do Sistema Confea/Crea/Mútua. Os instrumentos digitais terão papel primordial na prestação de serviços eficazes pelo Conselho.

Durante o encontro, Alisson, que é engenheiro civil e empresário do setor da construção, salientou que os entraves são muitos dentro do Conselho até que se consiga, por exemplo, uma Certidão de Acervo Técnico (CAT). “Nem informação se consegue por telefone, por e-mail. Tem profissional que vem do interior e não consegue resolver o problema. Vamos acabar com esta inoperância. Os serviços do Crea estarão disponíveis de forma virtual. Quem tiver um computador, um tablet, um celular, poderá acessá-los a qualquer tempo. O profissional terá acesso aos serviços do Crea na palma da mão”.

O candidato do grupo “CREA para Todos” salientou ainda que as empresas, que empregam muitos profissionais assim como os profissionais do interior contarão com um atendimento personalizado para facilitar o recebimento e encaminhamento das demandas.

Os candidatos a diretor-geral e diretora-administrativa da Mútua (Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-AM), Claudio Guenka e Denise Braga, enfatizaram que a votação nos candidatos do mesmo grupo permitirá os avanços. “Hoje, no site do Crea-AM não há qualquer publicidade sobre a Mútua e nem link de acesso para a Caixa de Assistência. Se ambas as instituições integram o mesmo sistema, por que operam isoladamente? Em nossa gestão, isso irá acabar. A união de Mútua e Crea irá proporcionar ganhos para todos. Divulgando mais, iremos conseguir novos filiados, aumentando os recursos da Mútua, que serão investidos, exclusivamente, no crescimento profissional, na saúde e no lazer do profissional”, enfatizou Guenka.

Denise Braga lembrou que muitos profissionais deixaram de receber os benefícios porque ficaram inadimplentes. “Muitos profissionais não podem solicitar os benefícios porque estão devendo a Mútua. Pretendemos implementar uma grande campanha de regularização de dívidas. Retirando multas e juros, reduzindo parcelas ou aumentando o prazo para a liquidação, vamos ajudar os profissionais a se livrar dessa preocupação e, principalmente, deste entrave, já que o nome nos órgãos de controle pode emperrar a vida das pessoas”, esclareceu Denise.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da UEA

Foto: Divulgação