TCE


Em operação de Segurança do Governo do Amazonas, deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e coordenada pela Secretaria de Segurança, foram apreendidas 2,8 toneladas de drogas, armamentos, uma lancha e uma picape S10, além da prisão de um trio – dois brasileiros e um colombiano, entre 31 e 36 anos. O material entorpecente está avaliado em R$ 50 milhões.

A Operação, denominada Jomini, que contou também com o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core-AM) e Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus), foi deflagrada na madrugada de sexta-feira (02/02), em um sítio na comunidade Bom Jardim, Km 240, da rodovia AM-010, entre os municípios de Rio Preto da Eva e Itacoatiara.

Em coletiva de imprensa na sede do DRCO estiveram presentes o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Vinicius Almeida; o delegado-geral da PC-AM, Bruno Fraga; o delegado Mário Paulo, diretor do DRCO; o delegado Juan Valério, coordenador da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core-AM), o comandante da Polícia Militar, coronel Klinger Paiva, além do deputado estadual Delegado Péricles.

Conforme Vinicius Almeida, essa ação é resultado do empenho e integração das Forças de Segurança no combate à criminalidade, tanto na capital como no interior do Estado. O secretário de Segurança destacou que o DRCO teve êxito nessa investigação e apreendeu o material ilícito.

“A determinação do governador Wilson Lima é que o sistema de segurança enfrente objetivamente os grupos criminosos, e nós temos feito isso com muito empenho. Em 30 anos, esse é o período em que as Polícias Civil e Militar entregam mais resultados positivos à sociedade”, disse.

Na ocasião, o delegado-geral Bruno Fraga destacou que a Operação Jomini foi um trabalho minucioso e de inteligência realizado pelo DRCO, onde foi possível realizar uma das maiores apreensões de drogas do Amazonas.

“Ao todo foram apreendidas 2,8 toneladas de drogas entre maconha e cocaína, dois mil litros de combustível, quatro fuzis, duas pistolas, uma espingarda calibre 12, uma lancha e uma picape S-10. O prejuízo aos criminosos está avaliado em R$ 50 milhões”, salientou Fraga.

*Investigação*

Segundo o delegado Mário Paulo, diretor do DRCO, as investigações iniciaram há cerca de 10 meses e apontaram que o sítio era usado como entreposto por traficantes de drogas. Dois irmãos brasileiros, de 35 e 36 anos, eram proprietários do local, e foram presos em flagrante, juntamente com um colombiano, 31.

“Nós começamos a apurar a procedência desse material ilícito, e verificamos que nesse sítio eram armazenadas as drogas, que chegavam ali de modo fluvial, transportada por colombianos fortemente armados. Os irmãos eram responsáveis e providenciavam a logística dos transportadores, como combustível e alimentação, bem como para o retorno deles”, pontuou o delegado.

A autoridade policial disse que as drogas eram fracionadas no local e distribuídas para outros grupos que traziam para Manaus, em caminhões baús como se fossem fretes de mudanças.

*Procedimentos*

Todos foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, organização criminosa e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.

*FOTO:* Erlon Rodrigues/PC-AM.