Após cortarem o cabelo de sua filha de 7 anos na escola, Jimmy Hoffmeyer processou a instituição e pediu uma indenização de US$ 1 milhão, nos Estados Unidos. Ele alega que a menina teve os direitos constitucionais violados, além de ter sofrido discriminação racial e intimidação étnica.

O caso aconteceu em março, segundo a Associated Press. Na ocasião, a criança voltou da escola com grande parte do cabelo cortado em um lado da cabeça. Ela contou que um colega de classe usou uma tesoura para fazer o corte, enquanto estavam no ônibus escolar.

Jimmy chegou a levá-la a um cabeleireiro, que deu um novo penteado à menina. No entanto, dois dias depois, a filha chegou em casa novamente com o cabelo cortado, dessa vez, do outro lado da cabeça. Ao ser questionada, a criança revelou que sua professora foi quem fez o novo corte.

Confira a matéria completa no Metrópoles