Manaus – Os pais e responsáveis de alunos da rede pública de ensino de Manaus estão sendo convocados para a realização do “Autoexame de Pele Virtual”, projeto da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) que busca identificar, de forma precoce, casos de hanseníase e outras dermatoses na comunidade acadêmica. O projeto-piloto teve início no dia 5 de julho deste ano e busca alcançar 150 mil estudantes até novembro de 2023.

O “Autoexame de Pele Virtual” é voltado para alunos matriculados em uma das 257 instituições de ensino, municipais e estaduais, que fazem parte do Programa Saúde na Escola (PSE). O projeto é desenvolvido pela Semsa, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Fundação Alfredo da Mata (Fuam).

A chefe do Núcleo de Controle da Hanseníase da Semsa, enfermeira Ingrid Santos, informou que 2.417 pessoas realizaram o autoexame até esta terça-feira, 19/7. Deste total, 81 respostas foram positivas para que as equipes de saúde sejam mobilizadas para investigação presencial.

“Os médicos e enfermeiros do PSE vão fazer o agendamento na escola para examinar os alunos presencialmente, mediante autorização dos pais. Toda a turma será examinada para evitar estigma ou constrangimento e também para fazer uma investigação ainda maior. A secretaria tem feito esses esforços para ampliar a cobertura da Atenção Primária e ainda promover a saúde de nossos alunos”, disse.

De acordo com Ingrid, as avaliações presenciais do projeto serão realizadas com a presença de profissionais da Educação, como professores e gestores, e também poderão ser acompanhadas pelos pais, para que os jovens se sintam seguros e confortáveis com o procedimento. Após essa etapa, se as alterações na pele exigirem um cuidado maior, será agendado um dia para que as famílias recebam as devidas orientações e encaminhamentos adequados.

“É muito importante essa adesão dos pais para que a gente possa sair da quantidade de 2,4 mil respostas para as 150 mil esperadas. Quanto mais cedo o questionário for respondido, melhor será a estratégia para chegar ao aluno e fazer o exame de pele, dando continuidade ao tratamento adequado. Nosso intuito é fazer um diagnóstico precoce, ofertando tratamento em tempo oportuno e quebrando a cadeia de transmissão”, contou Ingrid.

Link

O “Autoexame de Pele Virtual” poderá ser realizado por meio de um link disponibilizado nos sites da Semsa (semsa.manaus.am.gov.br), da Semed (semed.manaus.am.gov.br) e da Seduc (www.seduc.am.gov.br). Se a família não tiver acesso à internet, as escolas poderão disponibilizar o questionário impresso, que os pais poderão preencher e devolver para a escola.

“Nós orientamos que o pai ou a mãe examine seu filho antes de responder o questionário, para facilitar na hora do preenchimento. Assim, ele vai saber o local onde tem uma manchinha ou área dormente, onde ele sente alguma fisgada, um choque, se a mancha é branca, marrom ou avermelhada, se essa mancha dói ou não, se coça ou não coça. Todas essas respostas serão avaliadas para que as equipes de saúde sejam direcionadas às escolas”, afirmou.

Hanseníase

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, causada pelo Mycobacterium leprae, também conhecido como bacilo de Hansen. Nos seis primeiros meses de 2022, Manaus registrou 51 novos casos da doença, sendo cinco casos em menores de 15 anos.

A transmissão da doença ocorre quando uma pessoa doente, sem tratamento, elimina o bacilo por meio de secreções nasais, tosses ou espirros, transmitindo para pessoas sadias que convivem próximo e por tempo prolongado no mesmo ambiente.

Na fase inicial, a hanseníase é caracterizada por lesões na pele e nervos que causam diminuição ou ausência de sensibilidade. Já em estágios mais avançados, o paciente pode sofrer com formigamentos, cãibra, dor ou espessamento dos nervos periféricos, principalmente nos olhos, nas mãos e nos pés, com diminuição ou perda de força muscular, inclusive nas pálpebras.