TCE
 A fim de promover o reencontro entre artistas
e público locais, o Teatro Manauara e o Manauara Shopping irão retomar as
atividades no palco do teatro a partir do dia 3 de setembro. O projeto
“Manauara Cultural: Nossa Arte Resiste”, que marca a reabertura da casa após
quatro meses sem apresentações por conta da pandemia de coronavírus, terá
quatro dias seguidos de shows de artes cênicas, humor, música e dança com nomes
de referência da cena cultural contemporânea da cidade.
 Na quinta-feira (3), a partir das 19h, quem
toma conta do palco é a turma do stand up comedy. A comédia em pé, estilo de
apresentação humorística que cresce cada vez mais em Manaus, será representada
pelos comediantes Daniel Dias, Junior Santos, Leandro Leitte, Lucas Eduardo e
Marcos Paiva. Os humoristas farão apresentações curtas, de cerca de máximo 15
minutos cada, sempre com temas do cotidiano e tiradas que prometem fazer o
público chorar de rir.
 Já a sexta-feira (4) marca o reencontro com a
música ao vivo, por meio dos shows de Ana Terra e Chrystian Pinheiro, Adriano
Arcanjo, Afonso Rodrigues, Bruno Rodriguez e Bianca Caggy. No sábado, é a vez
das artes cênicas, com cinco esquetes ou cenas curtas: “Guadalupe de Mont
Serrat”, de Nivaldo Mota; “Casal 40, da Companhia Interarte, com os atores
Roger Barbosa e Ariane Feitosa; “Lady Parker Show”, com Michel Guerreiro;
“Espetáculo de Reencontro”, com Claysson Charles e Camila Maria, da Criatê Arte
e Produções; e “Diário das Marias”, da Cia Trilhares.
 “Temos uma expectativa enorme e um misto de
saudade (em relação ao retorno) porque a gente está há mais de quatro meses
parado. Não tem nada que substitua isso, o riso da plateia, os aplausos. O
teatro é a arte do contato. A expectativa é muito grande”, diz Roger Barbosa,
da Interarte. “Espero que o público também esteja com essa saudade”, diz ele,
cuja esquete irá abordar a história de casais durante a pandemia.
 Para finalizar o fim de semana de reencontros
com a arte local, entram em cena no domingo as apresentações de dança: “A
Resistência do Folclore Brasileiro”, balé folclórico com Larissa Perroni e
Thaysson Castro; o solo livre de balé clássico “Liberté”, com Brenda Lobato; a
sessão de dança do ventre “Arte e Tradição”, com Maise Ribeiro; o solo de jazz
dance “Mulher”, de Barbara Aranha; e o solo de música contemporânea “Pele
Adentro”, com a bailarina Fernanda Bezerra.
 Além das apresentações no palco, haverá em
cada um dos quatro dias de programação do projeto “Manauara Cultural” um espaço
dedicado a exposições fotográficas e literárias no foyer, o ambiente que dá
acesso à câmara principal do teatro.
 A diretora do Teatro Manauara, Carolina Bim,
falou sobre a retomada das atividades do teatro. “O projeto é para promover
esse reencontro do público com o artista, do artista com o palco. Nossa
intenção também é movimentar essa cadeia produtiva, envolvendo artistas,
técnicos e produtores que tem passado por um de seus períodos mais desafiadores
nos últimos meses”, disse Carolina, que acredita que, durante a quarenta, mais
do que nunca a arte foi um “alento para a vida das pessoas”.
 “A pandemia paralisou todos esses
profissionais, mas mesmo assim, eles continuaram gerando conteúdo por meio de
lives em suas redes sociais, trazendo entretenimento e conteúdo às pessoas. A
arte tem esse papel de descompressão e isso ficou tão claro nesses tempos. A
arte é uma necessidade humana”, declarou a gestora do Teatro. “O projeto
reafirma a importância do Teatro e da arte na vida das pessoas”, finalizou.
 Medidas
sanitárias
 Atendendo aos protocolos exigidos pelos órgãos
de saúde pública, o Teatro Manauara irá reabrir com apenas metade de sua
capacidade de lotação, pontos de higienização de mãos com álcool em gel 70%,
distanciamento de 1,5m entre as cadeiras, higienização constante de superfícies
de contatos, como bancos e corrimãos, além da intensificação da limpeza dos banheiros
e outros espaços comuns. “Estamos prontos para receber o público com segurança
em nossos espaços”, garantiu a diretora.
Fonte: Assessoria de Imprensa do Teatro
Amazonas
Foto: Divulgação