A repórter Branca Andrade foi intimidada ao vivo nesta sexta-feira (25) e teve seu trabalho impedido por dois homens, enquanto gravava  no terminal Alvorada do BRT, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

As cenas repercutiram nas redes sociais, com revolta pela ação dos homens não identificados. Branca estava no local reportando a greve dos motoristas. “A gente estava à caminho da passarela para poder entrar ao vivo e dar o serviço para a população”. “Olha só, o senhor está no ar agora, o senhor me dá licença. O senhor está atrapalhando o meu trabalho”, disse Branca.

Sem se intimidar com as câmeras, um dos homens foi para próximo de Branca e até desconectou o cabo do microfone, a impedindo de continuar normalmente a gravação e de ouvir o que a apresentadora Isabele Benito, do SBT Rio, dizia. “Eu estou aqui para mostrar que o BRT parou de funcionar essa madrugada e a população está sem conseguir embarcar. Nesse momento nós estamos sem liberdade de expressão, estamos cerceados aqui, como você pode ver, Isabela”.

Os homens, que não estavam fardados, se diziam funcionários do BRT mas recusaram a dizer seus nomes.

O SBT emitiu uma nota de repúdio sobre o caso: