Com intuito de tirar pessoas da situação de rua e das drogas o projeto “pai resgatando vidas” foi criado pelo Empresário Marcos Bastos há cerca de 5 anos atrás quando senhor bastos se viu na posição de fazer o 1o. resgate, de um rapaz chamado Edimar que estava na rua e consumia bastante drogas e já tinha sido deixado de mão pela família e amigos mas mal sabia ele que isso seria somente o início de uma longa jornada em ajudar o próximo.


Depois de ter passado esse resgate o desejo de ajudar as pessoas foi crescendo cada vez mais, como ele nos contou em uma entrevista concedida ao Jornalista Nailson Castro, nesta segunda-feira (07), aos Portais Associados.“ Aquela inconformidade de ver as pessoas naquela situação e o desejo de fazer mais por elas me fizeram fazer outros resgates até que chegarmos ao resgate da Marina de Manaus, e pra nós integrantes do Instituto foi muito marcante, pois esse resgate ganhou grande repercussão até a rainha do pop Madonna se pronunciou pela nossa Marina de Manaus, fizemos um belo trabalho com ela, hoje ela esta limpa a 1 ano e 6 meses”. Completou Marcos.

Atualmente, o projeto é um misto de necessidade e amor pois não recebe nenhum incentivo financeiro do governo, o projeto é mantido por essas páginas que estão ao ar na internet: Instituto Pai Resgatando Vidas Manaus, Bastidores e página Marcos Bastos, e é através delas que o Instituto consegue se manter.

A chácara fica localizada no Município de Iranduba, distante 33,6 km da cidade de Manaus, chegando lá os dependentes terão que passar por um ramal e logo após fazer um trecho do caminho a pé, justamente para manter essas pessoas longe de qualquer emoção que remeta ao vício novamente. hoje o aproveitando dessas pessoas nesse centro de acolhimento chega a marca de 50 a 95% por cento, segundo bastos. enfatizamos ainda que o local não é clínica para dependentes e sim uma casa de acolhimento.

Perguntado sobre pretenção política Marcos Bastos mencionou não ter nenhuma vontade no momento de concorrer a nenhum pleito, somente visa ajudar essas pessoas que estão a margem da sociedade sofrendo todos os dias com os olhares julgadores por justamente estarem nessa mazela.

Bastos, acrescentou ainda que acredita na mudança das pessoas e que os órgãos públicos deveriam ter um olhar atenuado a essas questões: “ hoje em dia, essas pessoas podem estar nas mazelas, nas beiradas de calçada mas nós do instituto “pai resgatando vidas”, acreditamos nessas pessoas, acreditamos na recuperação delas, e aos governantes que quiserem nos ajudar enviando emendas parlamentares para termos melhores condições de ajudar essas pessoas estamos abertos a conversa”, finalizou