Foto: Divulgação

A recusa, neste momento, dos clubes da Inglaterra e da Espanha em ceder jogadores pode transformar a seleção brasileira

A seriedade em relação aos protocolos da covid-19 se encaixou à clara aversão de boa parte das entidades europeias a qualquer possibilidade de sucesso da seleção brasileira, demonstrada ao longo dos anos. No bom livro do jornalista Martí Perarnau, sobre a vida de Guardiola, ele pouco cita a seleção brasileira como uma das referências do consagrado treinador, por exemplo.

A recusa, até este momento, dos clubes da Inglaterra, da Itália e da Espanha em ceder jogadores para as seleções sul-americanas nas próximas rodadas das Eliminatórias, para evitar uma longa quarentena, obrigatória nos países, no retorno dos atletas, poderia, no entanto, ajudar Tite a ampliar seu espectro para a Copa do Mundo de 2022.

Muitos torcedores e jornalistas já vinham pedindo há tempos maior espaço para craques que atuam no Brasil.

 

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação