Um evento em alusão à Semana Nacional de Trânsito 2021, promovido por meio de uma parceria entre a Yamaha, com suas concessionárias Braga Motos e TV Lar, Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST/SENAT) e Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), promoveu treinamentos para motociclistas nesta quarta-feira, 22. O objetivo era fazer com que os condutores evitem o chamado “ponto cego” no trânsito.

Os motociclistas que passavam pela avenida Autaz Mirim, no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus, receberam, ainda, orientações, checagem dos itens de segurança dos veículos e dicas sobre pilotagem defensiva. Ao fim do treinamento, o motociclista recebeu um vale de troca de óleo grátis das duas concessionárias Yamaha participantes da ação.

O evento é uma união de forças entre vários agentes da sociedade civil em prol de um bem comum, que é o trânsito mais seguro e gentil.

Rafael Lourenço, Chefe de Relações Institucionais da Yamaha, explicou que o Brasil é um dos países que mais registra vítimas de trânsito. “Só vamos mudar esse quadro se todos os agentes da sociedade civil trabalharem juntos. É exatamente isso que temos nesse evento de treinamento para os motociclistas”, ressaltou, complementando: “o importante é continuar com esse trabalho de ‘formiguinha’, que é um trabalho educativo, e o ideal é que seja permanente e de longo prazo”, disse Lourenço.

Projeto PIT STOP

Na ação do Projeto PIT STOP, o motociclista passa por um circuito, onde recebe uma checagem de 21 itens de segurança da motocicleta. Na sequência, ele passa por um treinamento de ponto cego, que é uma instrução na qual o motociclista aprende a evitar a colisão lateral com veículos maiores. “Nesse procedimento, os motociclistas entram no carro e fazem essa inversão de papel, passando a ter a perspectiva do motorista de carro no trânsito”, explicou Lourenço.

O evento da Semana Nacional de Trânsito é uma proposta educativa e não punitiva. “A ideia é fazer um evento de conscientização. As pessoas que passam por aqui não são multadas, apenas recebem orientações. Nesse caso, temos parceiros como o IMMU, Sest Senat, Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e a Yamaha com as concessionárias Braga e TV Lar”, completou.

O vice-presidente de Trânsito do Immu, Edson Leda, explicou que a Semana Nacional de Trânsito foi instituída em 2007 pelo calendário Nacional e Manaus aderiu ao movimento. “Hoje a nossa campanha segue os passos da campanha nacional para pedestres e ciclistas, mas, também, incluímos o motociclista no ‘ver e ser visto’”, explicou Edson Leda.

Edson Leda disse que o IMMU acompanha os altos índices de acidentes envolvendo motociclistas que acabam trazendo problemas para a cidade, famílias, e ao sistema de saúde. “Por isso a importância de promover o evento como o dia de hoje, levando orientações educativas para conscientizar o motociclista da responsabilidade que ele deve ter ao volante”, disse Edson Leda.

Ponto cego

O vice-presidente de Trânsito do IMMU ressaltou que um dos diferenciais foi a orientação sobre o “ponto cego”. Os motociclistas aprenderam, na prática, a perspectiva do motorista de veículos maiores.

Segundo ele, o evento que ocorreu nesta quarta-feira, será estendido ao logo do ano no calendário do órgão municipal. “A proposta do Instituto é alcançar a meta de redução de acidentes de trânsito”, explicou.

O mototaxista José da Silva, 51, ressaltou da importância de ter eventos de orientação ao motorista. Segundo ele, o trabalho de orientação deve ser contínuo e as pessoas que estão no trânsito devem ter consciência e respeitar as leis.

“Orientação como essa é muito importante tanto para os motoristas de veículos maiores como nós que atuamos como motociclistas. É preciso haver essa conscientização de que são vidas que estão sendo conduzidas”, concluiu José Silva.

 

Ações educativas no trânsito

Dentre as prioridades da atuação institucional da Yamaha estão as ações de educação no trânsito e segurança do motociclista. O Departamento de Relações Institucionais trabalha em parceria com a ABRACICLO, autoridades de trânsito, concessionários de rodovia e sua rede autorizada em todo o Brasil, para propagar as melhores práticas na manutenção e condução de motocicletas por meio de ações Pit Stop, Moto CheckUp e Palestras.

Além desta ação em Manaus, a Yamaha participou, no dia 18 de setembro, da 3ª edição do Pit stop Salva Vidas, realizado no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, SP. A ação que é uma iniciativa do Detran faz parte do Programa Motofretista Seguro, criado em 2020.

Entre as palestras e serviços disponíveis nos estandes de empresas e órgãos presentes na ação, a Yamaha, com seus instrutores de pilotagem do YRA, realizou demonstrações de técnicas de frenagem segura, apresentando como é uma frenagem errada e os benefícios de executá-la de maneira correta. Também realizou no seu estande uma oficina educativa sobre ponto cego, colocando o motofretista dentro de uma van para entender de forma prática a importância de se posicionar corretamente no trânsito com a sua moto e ter mais segurança enquanto trabalha nas ruas.

As ações de segurança e educação no trânsito são um esforço coordenado entre os departamentos de Relações Institucionais, RH, SESMT, YRA e Rede de Concessionários, como meio de agregar qualidade aos motociclistas. É a Yamaha trabalhando por um trânsito seguro!

 

MAIS SOBRE A YAMAHA BRASIL

Há 65 anos, a Yamaha é conhecida mundialmente pelo ronco de seus motores, mas foi fabricando instrumentos musicais que começou suas atividades, em 1887. O logotipo, com os três diapasões sobrepostos deixa clara essa origem, simbolizando ritmo, harmonia e melodia.

A Yamaha Motor Company surgiu no Japão em 1955, quando a empresa passou a fabricar motocicletas, lançando a YA-1, a famosa Libélula, que já em sua primeira competição faturou as três primeiras colocações na desafiadora corrida de subida de montanha Asama Race.

No Brasil, a Yamaha se estabeleceu em 1970, sendo a primeira fabricante de motocicletas a se instalar efetivamente no País. Em outubro de 1974 passou a produzir em Guarulhos, São Paulo, tendo como primeiro modelo nacional, a Yamaha RD 50, eternamente lembrada como “cinquentinha”. Em 1985 inaugurou em Manaus, Amazonas, uma segunda unidade fabril, hoje a única, a Yamaha Motor da Amazônia Ltda.

Atualmente são 26 modelos de motocicletas comercializados no Brasil, 8 modelos WaveRunner (veículos aquáticos), 32 modelos de motores de popa e uma Rede com cerca de 370 concessionárias e pontos de venda autorizados e capacitados no atendimento e serviços com qualidade.

O Grupo Yamaha Motor no Brasil exporta para países como Estados Unidos, Canadá, Japão, Oceania e para o Mercosul e Europa. Mais que tecnologia e máquinas, o que diferencia a Yamaha são as pessoas e sua paixão pelo que fazem, todas com um único objetivo: o de gerar Kando através de seus produtos e as experiências que eles proporcionam.

Kando, em japonês significa o estado de espírito de uma pessoa ao se deparar com algo extraordinário o suficiente para gerar encantamento a ponto de fazê-la suspirar de satisfação. E é para arrancar suspiros assim que trabalhamos cada vez mais e melhor.