Manaus – Três pontos de vacinação começam a funcionar na zona sul de Manaus a partir desta quarta-feira (13). Com os novos locais, a cidade totaliza 86 pontos de vacinação para facilitar o acesso da população às vacinas contra a Covid-19. Os locais e horários de vacinação do público adulto podem ser conferidos pelo site da Semsa e nas redes sociais da secretaria.

Os novos locais de vacinação situados na zona Sul funcionarão na Unidade Básica de Saúde (UBS) Mauazinho, no bairro de mesmo nome, com vacinação do público adulto e infantil; na UBSF S-07, bairro Nossa Senhora Aparecida, com vacinação para adultos; e no Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) Dr. Afrânio Soares, no Parque 10 de Novembro, que atenderá crianças e adultos.

Devido a mudança do cenário epidemiológico, que aponta o aumento do número de casos da doença, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) vem intensificando a oferta da vacina, que além das unidades de saúde está sendo disponibilizada também em três pontos estratégicos: Studio 5 Centro de Convenções, na zona Sul; Centro de Convenções de Manaus, o “sambódromo”, na zona Oeste; shopping Philippe Daou, na zona Norte, para crianças e adultos.

O secretário municipal de Saúde Djalma Coelho alerta a população sobre a importância de atualizar o calendário vacinal com as doses de reforço, medida fundamental para conter a transmissibilidade do novo coronavírus.

“Além das nossas salas de vacinação, temos as unidades básicas de saúde com horário estendido e aos sábados a vacina também é oferecida. Na semana passada nós realizamos um trabalho de intensificação, mas é preciso que a população compreenda que precisa nos apoiar se vacinando”, observa.

Segundo ele, a busca pelos imunizantes que protegem contra as formas graves do Sars-Cov-2 vem aumentando nos últimos 15 dias, mas Djalma salienta que a movimentação nas estações de vacinação precisa ser maior porque a vacina, fruto de pesquisas científicas, representa uma importante arma para o enfrentamento de uma doença que pode levar à morte e traz graves consequências para a sociedade.

“Precisamos reconhecer que ao vacinar todos estamos contribuindo para a saúde coletiva Não podemos nos acomodar porque essa doença ainda é um desafio que precisa ser vencido por todos nós. E só iremos avançar na proteção se todos nos protegermos com os imunobiológicos”, comenta.