Um dos temas mais debatidos e discutidos na atualidade, o Direito Eleitoral Brasileiro é o tema do curso de pós-graduação Premium que a Universidade Nilton Lins lança esta semana para profissionais e especialistas de todas as áreas que atuam no setor direta ou indiretamente.

 

As aulas serão presenciais, no período noturno, na própria instituição e começam no próximo dia 30 de agosto com duração de 12 meses.

 

As atividades serão ministrado por mestres e doutores com destacada atuação na área no Amazonas e em todo o Brasil em um total de dez módulos que tratam do ambiente político eleitoral, das normas e das leis que os regem: Introdução ao Direito Eleitoral, Organização, Sistemas e o Código Eleitoral no Brasil, Processo Eleitoral, Estrutura e Procedimentos Administrativos TSE, Direito Penal e Processual Penal Eleitoral, Propaganda Eleitoral, Tópicos Especiais em Direito Eleitoral, Candidaturas e Participação Feminina na Política, Metodologia do Ensino Superior e Metodologia do Trabalho Científico.

 

De acordo com a reitora da Universidade, Gisélle Lins Maranhão, o curso também irá abordar todos os projetos de mudanças para as eleições de 2022 já aprovados ou que estão em tramitação no Congresso Nacional atualmente.

 

“São muitas propostas que podem alterar em diversos aspectos o pleito de 2022 e o profissional terá a oportunidade de participar de um curso único e completo, que realmente merece o conceito ‘Premium’ pela excelência do corpo docente e que poucas instituições no país tem condições de oferecer”, destacou a reitora.

 

Para mais informações e efetuar a inscrição, a Universidade Nilton Lins disponibiliza o e-mail [email protected] e os números de telefone (92) 3643-2192, (92) 3643-2165 e (92) 99188-8605.

 

Ainda na área de cursos de pós-graduação, a Universidade irá promover neste segundo semestre de 2021 as especializações em Direito Civil e Processual Civil, Gestão e Controle Social de Políticas Públicas, Motricidade Orofacial, Gestão e Planejamento de Recursos e Direito Penal e Processual Penal.