Amazonas – Já são três municípios amazonenses, Rio Preto da Eva, Careiro da Várzea e Humaitá, a decretarem o retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes fechados. Em Humaitá, a renovação da obrigatoriedade é por tempo indeterminado.

No último dia 11, a Prefeitura de Rio Preto da Eva tornou obrigatório o uso de máscaras em ambientes fechados, após o município registrar o número de 147 pessoas em isolamento domiciliar e 1 pessoa internada por conta da Covid. O município já registrou, desde o início da pandemia, 6.736 casos da doença e 86 mortes causadas por ela.

Outro município que retomou a obrigatoriedade do uso de máscaras em escolas e unidades de saúde da cidade foi o Careiro da Várzea, no último dia 12.

Segundo o decreto assinado pelo prefeito de Careiro da Várzea, Pedro Guedes, a medida leva em consideração o aumento expressivo de casos de pessoas com síndrome gripal e positivas para a Covid-19 na cidade. Também foi considerado o aumento de pessoas afastadas do trabalho em decorrência das duas doenças.

Em Humaitá, a prefeitura renovou a situação de calamidade pública por conta da Covid-19 por tempo indeterminado e voltou a tornar obrigatório o uso de máscaras para idosos acima de 70 anos para acesso às unidades básicas de saúde da cidade.

A Prefeitura de Humaitá recomenda que a máscara seja usada em estabelecimentos fechados e determina que o acesso aos prédios e repartições públicas precisarão ser com o uso desse equipamento de proteção.

O uso de máscaras é obrigatório também para as atividades comerciais tanto de funcionários quanto de clientes, sendo recomendada ainda a limpeza diária do ambiente para evitar a proliferação do vírus.