Brasília (DF) – O Projeto de Lei 1043/19, de autoria do deputado David Soares (União-SP) que permite a abertura das agências bancárias aos sábados e domingos tramita na Câmara dos Deputados, mas devido à falta de consenso entre os parlamentares, o PL só deverá ser discutido após as eleições.

Conforme o diretor de sustentabilidade, cidadania financeira, relações com o consumidor e autorregulação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Amaury Oliva, das 103 bilhões de transações 67% foram via internet e celular, mas ainda assim, existem clientes que preferem o atendimento presencial, e que a legislação reguladora do funcionamento dos bancos (Lei 4.178/62) deve ser atualizada.

“A sociedade mudou muito. Os consumidores esperam hoje ter acesso a serviços financeiros essenciais também aos finais de semana. Não é uma obrigatoriedade de funcionar aos sábados, mas é permitir, é tirar essa proibição”, disse Oliva.

Outros representantes acreditam que a proposta não beneficia a sociedade, apenas permite a venda de mais produtos bancários, além de agravar casos de doenças como síndrome do pânico e casos de assédio.

“Só visa abrir as agências para estender a jornada de trabalho dos bancários para vender produto. Se é para atender a população, deveria contratar mais bancários para diminuir as filas” disse o representante da Associação dos Funcionários do Grupo Santander Banespa, Banesprev e Cabesp, Marcelo Gonçalves.

Segundo o presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, o deputado Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), a proposta só deverá ser discutida após o período eleitoral deste ano.