Manaus/AM – Um dos fuzis utilizado pelos criminosos que atacaram uma viatura da Polícia Civil no dia 6 de janeiro deixando dois detentos mortos, saiu do depósito do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

O juiz Luís Alberto Nascimento Albuquerque, da 1ª Vara Criminal da Capital, solicitou a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) que abra uma investigação para apurar o caso.

No Processo n. 0624496-24.2021.8.04.0001 consta que um fuzil da marca Taurus, modelo T4, foi apreendido no dia 6 de março de 2021, no bairro Zumbi dos Palmares, na zona leste, em posse de Adriano de Souza Marques.

O fuzil pertencia a um empresário, que vendeu a arma para um policial militar no dia 3 de março de 2021. O PM contou em depoimento que no dia 5 de março teve seu carro arrombado e que o fuzil tinha sido levado.

Após a absolvição de Adriano no dia 10 de junho de 2021, o TJAM solicitou dos antigos donos do fuzil (do empresário e do policial) se algum deles gostaria de obter o armamento novamente, mas quando as partes se manifestaram, o fuzil já não estava mais no depósito público. E após esse sumiço, a arma apareceu novamente no fatídico ataque contra a viatura ao lado do Fórum Henoch Reis.

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) também solicitou da PC-AM a instauração de um inquérito “os fatos narrados ou juntar o presente feito em eventual investigação policial existente, sob cautelas legais”.

A Polícia Civil informou que arma apreendida no ataque contra a viatura ainda está com a perícia técnica.