Manaus (AM) – Os advogados da família da servidora federal Silvanilde Ferreira Veiga, que tinha 58 anos, revelaram que o aparelho celular dela enviou um alarme de emergência antes de ser encontrada morta no domingo (22), dentro do apartamento onde residia, no bairro Ponta Negra, zona Oeste de Manaus.

Segundo a advogada Daniela Cardoso, a partir do alarme de emergência, a filha da servidora, Sthephanie Veiga, ligou para o celular da mãe, mas não foi atendida.

A informação foi divulgada nessa sefunda-feira (23), quando a filha da vítima foi à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prestar depoimento.

“Às 22h06 ela recebeu um aviso de socorro, emitido pelo celular, só que nessa hora ela já estava morta, quem estava com o celular dela emitiu esse aviso para a Stephanie, a partir desse aviso ela conseguiu ligar duas vezes para a mãe e ligou pra portaria, em seguida pediu pra portaria ir lá olhar”, disse a advogada.

Relembre o caso

corpo da servidora pública e diretora da 15ª Vara do Trabalho de Manaus foi encontrado pela filha, na noite da último sábado (21), no apartamento de luxo onde morava na Zona Oeste de Manaus.

Segundo o Boletim de Ocorrência (BO) registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no domingo (22), por volta das 22h06 de sábado (21), a filha mandou duas mensagens à mãe, porém não obteve resposta.

Então ela pediu ajuda ao porteiro do condomínio, que informou que ninguém atendia ao interfone, mas que os veículos estavam todos nas respectivas vagas.

A filha então foi até o apartamento, juntamente com o seu namorado, e avistou sua mãe estendida no chão da sala, de bruços sobre uma poça de sangue.

O local não tinha sinais de arrombamento e o celular da vítima foi levado. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).