Paralimpíadas escolares ocorrem desde 2009

Estudantes paratletas amazonenses da rede pública estadual participam da 12ª edição das Paralimpíadas Escolares, em São Paulo. O evento é uma realização do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e do Ministério da Cidadania. Os estudantes amazonenses contaram com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, para participar da competição.

Na última edição, realizada em 2019, o Amazonas teve o recorde de 45 medalhas conquistadas. Agora, os atletas sonham em repetir o feito. A cerimônia de abertura ocorreu na terça-feira (23/11), de forma virtual, e os jogos iniciam nesta quarta-feira (24/11), seguindo até sexta-feira (26/11).

O apoio aos atletas de todas as modalidades da educação é uma determinação do governador Wilson Lima, que prioriza o desenvolvimento integral dos estudantes.

Neste primeiro dia, os atletas Samuel Miranda Martins, da Milburges Bezerra de Araújo; João Lucas Pereira, da EE Pedro Câmara; Pablo Kauan Ramos, da EE Antonio Encarnação, em Manaus, saíram vencedores em suas modalidades. Kael Modesto, da Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Gláucio Gonçalves, de Parintins, ganhou a primeira partida no tênis de mesa contra o estado do Espírito Santo.

“Eu nunca tinha participado dessa modalidade, mas graças a Deus eu consegui ganhar hoje. Eu lancei 20m e ganhei uma medalha, então estou muito feliz. Irei focar agora no arremesso de peso, e se tudo der certo, vou bater meu recorde”, afirma Samuel.

Ao todo, a delegação é composta por quatro profissionais da rede, sendo um chefe, dois técnicos e um médico, além de um atleta de tênis de mesa, um de natação e oito de atletismo, que participarão das provas de arremesso de peso, lançamento de disco e dardo, salto em distância, corrida de 100m e 400m, entre outras.

Paralimpíadas Escolares – A competição desportiva teve sua primeira edição em 2009. Desde então, consagrou-se como o maior evento mundial para crianças com deficiência em idade escolar. Diversos talentos do paradesporto já passaram pelo torneio, como o nadador Talisson Glock, que conquistou prata no Rio 2016.

Podem participar das Paralimpíadas Escolares 2021 equipes masculina e feminina, com deficiência física, visual e intelectual, e idade mínima de 11 anos (nascidos em 2010) e máxima de 18 anos (nascidos em 2003), conforme as modalidades previstas para o torneio, e desde que estejam regularmente matriculados e frequentando escolas de Ensino Fundamental, Médio ou especial, pertencentes à rede pública ou particular de ensino.