Foto: Divulgação

Tecnologia e internet sempre foram grandes ferramentas para qualquer negócio e à medida que essas ferramentas evoluem, o comércio se adapta a elas. Segundo o site Ecommerce Brasil, as pequenas e médias empresas desse segmento registraram aumento de 185% nas vendas entre 2019 e 2020. Esse crescimento fez com que mais empresas começassem a buscar por profissionais qualificados para alavancar as vendas e aumentar o poder de alcance da sua marca.

O social media passou a ser importante nesse cenário, onde as redes sociais assumiram um papel fundamental. O Facebook e o Instagram, por exemplo, representaram um terço dessas vendas. Além de comprar, os consumidores usam esses canais para pesquisar ofertas, tirar dúvidas, buscar opiniões, ou seja, se sentirem confiantes antes de comprar algo.

A praticidade de não precisar sair de casa para comprar um produto ou fechar um negócio fez com que o mercado se transformasse, e a pandemia só fez acelerar esse processo. E o social media, segundo a fundadora e CEO da empresa Faz Teu Nome, Wanessa Castro, é quem fica responsável por realizar toda a operação das redes, com base nas estratégias de marketing para as marcas que desejam ser facilmente localizadas, receber avaliações do público, aumentar o seu fã-clube e, claro, alavancar o número de vendas.

“As redes sociais não foram criadas para realizar vendas, elas foram criadas para gerar relacionamento. Portanto, antes de querer vender para seus seguidores, é importante criar uma conexão e um relacionamento com eles. Para isso, há uma estratégia muito útil chamada de Funil de Conteúdo, que é onde usamos conteúdo específicos para atrair seguidores, para gerar relacionamento e também para gerar vendas. Para cada etapa desse funil, há tipos de conteúdo diferentes. Essa estratégia é fantástica”

No último ano, as compras realizadas por intermédio das redes sociais saltaram de 22% para 34%. O Instagram tem se destacado pela importância na estratégia dos lojistas e já corresponde a 87% das vendas.

O consultor de marketing, Erik Tavares, 25 anos, é um dos profissionais que conseguiu um emprego no mercado de trabalho após ser procurado por empresas que desejam estreitar os laços com os consumidores por meio das redes sociais. Segundo ele, a transformação do mercado para o formato E-commerce é muito importante hoje em dia.

“Empresas que estão surgindo agora já estão utilizando as redes sociais como principal forma de contato com seus clientes. E as empresas mais tradicionais estão se adaptando também. O diferencial do formato E-commerce é o relacionamento personalizado com o cliente. Através das redes sociais, o cliente pode encontrar o produto ou serviço do jeito que deseja, pois, o perfil do cliente é levado em consideração durante a venda pela internet. Nem sempre o cliente quer o produto que está em promoção. Ele quer o produto que satisfaça suas necessidades”, disse ele.

Veja como trabalhar com o E-commerce

A integração entre vendas presenciais e online será uma forte tendência para a temporada de compras neste fim de ano e, principalmente, continuará sendo um dos mecanismos de venda em 2022. Para conseguir bater as metas sem perder a relação da marca com o cliente, a Wanessa Castro dá quatro dicas para quem quer começar ou se adaptar ao E-commerce:

1 – Cada público tem sua particularidade. Claro que há estratégias gerais que podem ser aplicadas em qualquer nicho, como o funil de conteúdo, por exemplo. Mas a forma como esse conteúdo será passado, a comunicação, o posicionamento e a imagem diferem de acordo com o objetivo de cada marca. É totalmente possível termos duas marcas do mesmo segmento, com o mesmo público e objetivo, mas com comunicações totalmente diferentes e que trazem igualmente resultados. E isso independe se é um produto físico ou prestação de serviço.

2 – Os principais erros são: Fazer ofertas demasiadas sem criar conexão com o público. É comum vermos perfis nas redes sociais de marcas que só postam ofertas. Como disse anteriormente, o propósito das redes sociais é gerar relacionamento, e uma marca que só quer vender, sem gerar valor e sem gerar conexão, dificilmente obtém sucesso.

3 – Outro erro é não estar presente de maneira constante. Um dos maiores ativos do mundo é a atenção. Na internet, a atenção das pessoas está sendo disputada a todo instante. Há muita gente criando conteúdo bom em todas as áreas e há muitos anúncios também. Por isso, se você fica muito tempo sem expor a sua marca aos seus seguidores, acaba sendo esquecido facilmente.

4 – Tenha uma estratégia digital bem definida, que gere valor através de conteúdos gratuitos e técnicas de vendas definidas. Caso não tenha conhecimento para isso, procure um profissional de Social Media. Este é um investimento que vale a pena no seu negócio.

 

A integração entre vendas presenciais e online será uma forte tendência para a temporada de compras neste fim de ano e, principalmente, continuará sendo um dos mecanismos de venda em 2022. Para conseguir bater as metas sem perder a relação da marca com o cliente, a Wanessa Castro dá quatro dicas para quem quer começar ou se adaptar ao E-commerce:

1 – Cada público tem sua particularidade. Claro que há estratégias gerais que podem ser aplicadas em qualquer nicho, como o funil de conteúdo, por exemplo. Mas a forma como esse conteúdo será passado, a comunicação, o posicionamento e a imagem diferem de acordo com o objetivo de cada marca. É totalmente possível termos duas marcas do mesmo segmento, com o mesmo público e objetivo, mas com comunicações totalmente diferentes e que trazem igualmente resultados. E isso independe se é um produto físico ou prestação de serviço.

2 – Os principais erros são: Fazer ofertas demasiadas sem criar conexão com o público. É comum vermos perfis nas redes sociais de marcas que só postam ofertas. Como disse anteriormente, o propósito das redes sociais é gerar relacionamento, e uma marca que só quer vender, sem gerar valor e sem gerar conexão, dificilmente obtém sucesso.

3 – Outro erro é não estar presente de maneira constante. Um dos maiores ativos do mundo é a atenção. Na internet, a atenção das pessoas está sendo disputada a todo instante. Há muita gente criando conteúdo bom em todas as áreas e há muitos anúncios também. Por isso, se você fica muito tempo sem expor a sua marca aos seus seguidores, acaba sendo esquecido facilmente.

4 – Tenha uma estratégia digital bem definida, que gere valor através de conteúdos gratuitos e técnicas de vendas definidas. Caso não tenha conhecimento para isso, procure um profissional de Social Media. Este é um investimento que vale a pena no seu negócio.

 

Fonte: E Commerce

Foto: Divulgação