O presidente estadual do Avante no Amazonas e prefeito de Manaus, David Almeida, participou do lançamento da pré-candidatura do deputado federal André Janones à Presidência da República para as eleições 2022.

O evento ocorreu neste sábado, dia 29/1, em Recife (PE), durante encontro nacional da sigla e reuniu lideranças nacionais e parlamentares do Avante de todo o Brasil.

Em seu discurso, David Almeida, primeiro prefeito de capital eleito na história do Avante, destacou as metas do diretório estadual para fortalecer a sigla nas eleições deste ano.

“Em 2020, fizemos do Avante o partido mais votado em Manaus, elegendo cinco vereadores, a maior bancada da Câmara Municipal. Para as eleições deste ano, estamos nos esforçando para que o partido seja o mais votado para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Nossa meta é elegermos de quatro a cinco deputados estaduais e darmos ao Avante uma representação de ao menos dois deputados federais. Nosso compromisso é com o fortalecimento do partido”, afirmou David.

-DIÁLOGO-
O deputado federal Luís Tibé, presidente nacional do Avante, afirmou que a pré-candidatura de Janones é uma opção de diálogo ao País, longe de ideologias.

“Não temos receita de bolo como pregam algumas candidaturas. A gente só tem solução para o País, quando a gente unificar as ideias e tiver um projeto que pode ter ideias boas, que venham da esquerda ou da direita. Mas é necessário ter alguém que dialogue com esses extremos, busque o consenso e traga a solução. O lançamento da pré-candidatura do Janones hoje aqui é emblemático”, finalizou.

-POTENCIAL-
Em 2018, André Janones foi eleito deputado federal pelo Avante como o terceiro parlamentar mais votado de Minas Gerais, com 178.660 votos.

Com 11 milhões de seguidores nas redes sociais, ele surpreendeu ao aparecer com 2% das intenções de voto para Presidência da República, na pesquisa divulgada pelo Ipec, em dezembro, ainda sem ter lançado pré-candidatura.

Neste sábado, em seu discurso, Janones afirmou que não tem compromisso com a cartilha da esquerda ou da direita e que lhe interessa atender os anseios do povo com comida na mesa, saúde e educação.

“O povo está preocupado com o preço da gasolina, do pacote de arroz, do pagamento do auxílio emergencial. As pessoas continuam sofrendo os efeitos nefastos que a pandemia causou na economia. Não tenho compromisso com a cartilha da direita nem da esquerda. Nenhuma ideologia dá conta da realidade. É um compromisso com a cartilha do povo brasileiro que quer comida na mesa, saúde e educação”, afirmou, durante seu discurso.