Foto: Divulgação

Wesley Melo afirmou que clube não vai adotar o modelo de gestão aceito por Cruzeiro e Botafogo: ‘Tudo ainda é muito novo’

Novo modelo de gestão que vem sendo implantado em alguns clubes tradicionais do futebol brasileiro, como Cruzeiro e Botafogo, a SAF (Sociedade Anônima do Futebol) não está nos planos do Corinthians. Pelo menos não por enquanto, segundo o diretor financeiro do clube, Wesley Melo.

Em entrevista coletiva na última quarta-feira (12), Melo disse que “tudo ainda é muito novo” e que será preciso analisar a experiência dos outros times que já aderiram ao modelo.

“Hoje o Corinthians não tem o menor interesse, não é a nossa diretriz. Pode vir a ser no futuro? Pode. Mas no momento a gente não precisa, não nas condições que estamos. Eu acho que é uma coisa muito nova. Precisa ganhar experiência ainda. Precisamos ver como serão as experiências de Botafogo e Cruzeiro, que espero que sejam bem sucedidas. Nós precisamos ter mais exemplos para formar opiniões mais sólidas para falarmos se serve para a gente nesse momento ou não”, afirmou.

O dirigente também reforçou que as coisas no Brasil são diferentes da Europa e que as torcidas aqui são muito peculiares.

“De qualquer forma, olhamos para a Europa e a maioria dos clubes são privados, tem donos. Eles estão errados na Itália, Espanha e Inglaterra? Mas a cultura do brasileiro é diferente. A torcida do Corinthians, principalmente, é muito peculiar”, completou.

O dirigente terminou dizendo que, mesmo do ponto de vista financeiro, o Alvinegro não tem necessidade e não está interessado em adotar o modelo comnhecido como clube-empresa no momento.

“Mesmo do ponto de vista financeiro e até mesmo estratégico, eu não vejo nenhuma necessidade da SAF nesse momento e nesse formato”, concluiu.

 

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação