TCE


Com novo reassentamento para mais 113 famílias às vésperas do Natal, Estado já investiu mais de R$ 100 milhões em soluções de moradia do Prosamin+

O governador Wilson Lima destacou que quase 1,1 mil famílias já foram reassentadas das comunidades da Sharp e Manaus 2000, zonas leste e sul, respectivamente, alcançando 45% da meta de aproximadamente 2,4 mil reassentamentos dessa área. Com isso, o Governo do Amazonas já investiu aproximadamente R$ 109 milhões em soluções de moradias para beneficiários do Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+).

O balanço foi feito pelo governador, nesta sexta-feira (22/12), ao acompanhar novos pagamentos feitos pela Superintendência Estadual de Habitação do Amazonas (Suhab) para reassentar 113 famílias da comunidade da Sharp, com indenização, bônus moradia e bolsa transitória no valor total de R$ 1,5 milhão.

“Até agora a gente já reassentou mais de mil famílias ali da comunidade da Sharp e a nossa prioridade foram aquelas pessoas que estavam ali naquela área do alagado. Então, que bom que a gente termina o ano cumprindo o compromisso que a gente tinha firmado”, destacou o governador. “E a gente está trabalhando no programa Amazonas Meu Lar, que é para entrega de 24 mil soluções de moradia e inclui o pagamento de bônus moradia, entrega de apartamentos, lotes, enfim, e de outras soluções que vão resolver o problema de moradia dessas famílias“, completou Wilson Lima.

Estiveram com o governador na sede da Suhab, zona centro-sul da capital, o deputado estadual Adjuto Afonso; os vereadores Diego Afonso e Yomara Lins; o secretário de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb), Marcellus Campêlo, e o diretor-presidente da Suhab, Jivago Castro.

“Hoje, famílias serão retiradas desse local, não passarão mais esse período de chuva, e a nossa felicidade em poder contribuir com a população, em nome do governador Wilson Lima, dando uma moradia digna e segura para essas famílias”, afirmou Jivago Castro.

As soluções de moradia do Prosamin+ integram uma das linhas de atendimento do Amazonas Meu Lar, maior programa de habitação do Estado. O Prosamin+ é executado pela Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb).

“O Prosamin+ começou em 2023 com toda a força. E agora nós estamos fechando o ano com mais 113 famílias saindo do alagado. E nós estamos acelerando para que até meados do ano que vem todas as famílias estejam reassentadas, porque as obras seguem aceleradas. E no final do ano que vem, nós vamos inaugurar o primeiro parque habitacional do Prosamin+”, explicou o secretário Marcellus Campêlo.

Soluções de moradia

A ação desta sexta-feira tem como alvo principal 100 famílias que ainda estavam em área vulnerável, com risco de alagação, e que vão receber a bolsa moradia transitória, no valor de R$ 1.650, equivalente a três meses de auxílio aluguel.

“Foram muitas dificuldades e muitas perdas. Então, hoje, estar fazendo parte disso aqui, para mim, estou muito feliz, de verdade. Só quem mora lá sabe o que passa. E hoje a gente está vendo algo que era inacreditável. Ele [governador] está de parabéns, está cumprindo o que ele prometeu”, comentou a dona de casa Rosângela Lima, que mora há 27 anos na Sharp e recebeu auxílio aluguel.

Outras 13 famílias ganharão uma solução definitiva, como indenização e bônus moradia de até R$ 60 mil, em troca da palafita onde residiam.

Com mais esse pagamento, o Prosamin+ contabiliza 2 mil soluções de moradia realizadas, desde outubro de 2022, quando começaram as indenizações dos beneficiários do programa, e 1.090 famílias reassentadas. O programa irá reassentar, ao todo, 2.383 famílias que moram em áreas de risco de alagação nas comunidades da Sharp e Manaus 2000.

Prosamim+

As obras do Prosamin+ ocorrem em uma área de 340 mil metros quadrados ao longo do Igarapé do Quarenta, entre a avenida Manaus 2000, no Japiim, zona sul, e a Comunidade da Sharp, no bairro Armando Mendes, zona leste. As famílias contempladas pelo reassentamento estão cadastradas desde 2020, quando iniciaram os trabalhos nessas áreas.

O programa é financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com contrapartida do Governo do Estado.

 

 

Fonte: Secom

Foto: Divulgação