Foto: Divulgação

Povos da floresta querem criar rede própria de fiscalização, denúncias e indicadores das agressões à Amazônia

No próximo domingo é o Dia da Amazônia. Uma data de celebração e luta! E de lançamento do Minifesto/Comunicado “Amazônia Viva! Até quando?”.

É um COMUNICADO e, ao mesmo tempo, um MANIFESTO. Um COMUNICADO, pois leva ao conhecimento de um grande público os fatos da conjuntura atual. Um serviço fundamental neste contexto em que redes de fake news criam um abismo entre a verdade e a realidade. Entre o desmatamento e a necessidade de lucro. Entre o trabalho legal e o escravo. Entre a vida e a morte. E é um MANIFESTO, pois busca sensibilizar a opinião pública pela ação nacional e internacional de defesa urgente das reivindicações dos povos da Amazônia, mas também de todas as pautas prioritárias de lutas no Brasil e no mundo.

O objetivo do documento é chamar atenção do mundo pra a necessidade urgente de se criar uma resistência coletiva para enfrentar as várias agressões que a floresta e seus povos enfrentam, que aumentam a cada ano. Até quando a floresta e as vidas podem aguentar a destruição, as ameças e as mortes ?

Entre as propostas está a criação coletiva de um Sistema Popular de Monitoramento da Amazônia. A ideia é utilizar as redes populares existentes na floresta para criação de um repositório de denúncias e ações práticas. Hoje, o número de multas é o menor na década. O desmatamento segue acelerado, é o maior da década. Quem se contrapõe a isso está morto e morta, presa ou sob ameaça de prisão e de morte. O objetivo do Sistema Popular de Monitoramento da Amazônia é tornar possível que, de forma anônima, qualquer pessoa possa se sentir segura para denunciar. Neste momento em que os órgãos responsáveis estão mais silenciados que nunca, este Sistema poderá amplificar as denúncias para todos os parceiros e parceiras da rede de monitoramento no Brasil, e no exterior, na mídia e redes sociais, órgãos de fiscalização da União, Estados e Municípios, entre outros, possibilitando variadas ações para defender a floresta e os povos que nela vivem. Além de criar indicadores e análises a partir da realidade, o sistema garantirá que a estrutura organizativa e deliberativa será dialogada e composta por entidades e lideranças comprometidas com luta pela vida; que estará aberta a quem pode ajudar, tecnicamente e financeiramente; e buscará receber apoios para tornar possível a efetivação dessa proposta o mais breve possível. Estas e outras ações fazem parte deste momento em que a vida não pode esperar. A AMAZÔNIA VIVA NÃO PODE ESPERAR!

A live “Show Amazônia Viva” ocorrerá neste domingo, 05, com inicio das 18h (horário de Brasília), pelo canal no YouTube, do Instituto Ajuri e com transmissão pelos parceiros.

ASSINE E COMPARTILHE!
A íntegra do Manifesto/Comunicado pode ser assinado no link abaixo:

https://secure.avaaz.org/community_petitions/po/instituo_cultural_ajuri_manifesto_amazonia_viva/

 

 

Fonte e Foto: Divulgação