Manaus – Para amadurecer uma ideia e transformá-la em um negócio de sucesso, a mentoria é uma das ferramentas que não pode faltar nesse processo. Pensando nisso, o grupo Ser Educacional inaugurou o programa de mentoria da CRIA – Incubadora Digital, que vai apoiar 90 propostas inovadoras de produtos, serviços e modelos de negócio de estudantes de suas Instituições.
Um dos projetos selecionados é do aluno do curso de Fisioterapia do UNINORTE – Centro Universitário do Norte, Eliandro Oliveira. Natural de Manaquiri, município do interior do Amazonas, o jovem cresceu vendo a dificuldade dos ribeirinhos para terem acesso a atendimento fisioterapêutico. A solução pensada pelo estudante é criar unidades móveis de prática de fisioterapia, como barco e ônibus para levar atendimento a regiões remotas.
“A fisioterapia é a especialidade principal, mas a ideia é levar também uma equipe multidisciplinar para ajudar os ribeirinhos que precisam de outros serviços de saúde”, conta o aluno.
Aplicativo offline
O projeto da estudante de Enfermagem da UNINORTE, Ângela Araújo, foi inspirado na dificuldade de acesso à internet em regiões mais remotas do Norte. Ela está desenvolvendo um aplicativo de atenção primária em saúde que vai funcionar de forma offline, atendendo a população que precisa de atendimento. “A ideia é voltada para atender as pessoas que não têm acesso a internet, estão longe de um centro médico e estão com dúvidas sobre a própria saúde. O app vai orientá-las na atenção primária e encaminhá-las aos especialistas para fazer o tratamento correto. Na pandemia, vimos como a informação e a falta dela afetam a qualidade de vida e os serviços de saúde, então a ideia é proporcionar uma solução para esse problema”, explicou a aluna.
Mentoria
Na primeira parte do CRIA, os alunos passarão pelo Overdrives Academy. O programa é do Centro de Inovação da UNINASSAU, o Overdrives, e terá duração de seis meses, com oferta de materiais de ideação, estruturação do modelo do negócio, entre outros. Os melhores projetos serão selecionados e passarão pela incubação do CRIA.
“Todos os projetos selecionados têm maior chance de resultar em projetos reais quando recebem apoio de núcleos especializados multidisciplinares, como é o caso do CRIA, que conta com equipe especializada, profissional e atenta às inovações do mercado. Vamos auxiliar os alunos a darem os primeiros passos para a criação de negócios transformadores”, afirma a diretora acadêmica do Ser Educacional, Simone Bérgamo.

A reitora da UNINORTE e integrante da equipe gestora do CRIA, Nilzete Santiago, destaca que a primeira turma de mentoria teve quase 400 projetos inscritos. “Será uma excelente oportunidade para os alunos, que vão ter mentores de grandes empresas nacionais acompanhando-os nesse processo. Essa conexão também vai ajudá-los a estreitar os laços com o mercado de trabalho e aumentar as chances de sucesso na carreira”, disse.