Manaus/AM – Dos principais insumos da Amazônia com potencial de inovação, as frutas açaí, tucumã e buriti são os mais aparecem em estudos publicados entre 2017 e 2021 por instituições de pesquisa brasileira sobre matérias-primas da região.

A conclusão foi tirada após o mapeamento de 1.070 artigos científicos e analisados 621 estudos, que seguem critérios de geração de novos conhecimentos e possíveis inovações a partir da sociobiodiversidade amazônica.

Os demais insumos que aparecem mais nos estudos são piper, aniba, castanha do Brasil, andiroba, cupuaçu, lippia, guaraná e bacaba.

O mapeamento foi divulgado na publicação “Bioeconomia amazônica: uma navegação pelas fronteiras científicas e potenciais de inovação”, divulgada nesta sexta-feira (8), coordenado pela World-Transforming Technologies (WTT), com a participação da Agência Bori.

Ciência das plantas, Ciências ambientais, Ciência e Tecnologia de alimentos, Ecologia e Bioquímica molecular são as áreas científicas com mais artigos que estudaram os insumos da Amazônia.

Entre as instituições com mais trabalhos na área, destacam-se a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o Museu Paraense Emílio Goeldi, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Nas pesquisas, que são variadas, os insumos são usados, por exemplo, para supressão tumoral de células de câncer de ovário, agente sensibilizador para terapia fotodinâmica de câncer e como agente em combate a doenças infecciosas.

As pesquisas trabalham também com a validação científica da utilização de insumos tradicionalmente empregados na medicina popular no tratamento de anemia, diarreia, malária, dores, inflamações, hepatite e doenças renais, dadas as atividades anti-inflamatória e antidiarreica, entre outras.

A aplicação pode ser feita também em diversas atividades industriais, como produtos artesanais, fabricação de tecidos, fios e redes de pesca, materiais cimentícios para construções sustentáveis, filmes biodegradáveis.