Maior parte do recurso foi usada para aquisição de cestas básicas e equipamentos de proteção individual

Amazonas – Finalizando mais um ano de trabalho, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), encerra 2021 com o total de 46 emendas parlamentares executadas. No total, foram R$ 6.658.142,56 em repasses financeiros ao órgão, contemplando a capital e municípios do interior do Amazonas.

A maior parte do montante foi utilizada no combate à pandemia e aos efeitos da cheia histórica que atingiu o estado, principalmente na compra de cestas básicas, que garantiram a segurança alimentar e nutricional de famílias em situação de vulnerabilidade social e na aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Entre os municípios contemplados pelas emendas estão Iranduba, Manacapuru, Parintins, Maués, Pauini e São Gabriel da Cachoeira. Para a titular da Seas, Alessandra Campêlo, as emendas parlamentares mostram que o parlamento amazonense entende e valoriza o trabalho da assistência social.

“Os recursos cumprem o estabelecido pela PEC do Orçamento Impositivo, criada pelo então deputado estadual e atual prefeito de Parintins, Bi Garcia, que torna obrigatória a execução de emendas parlamentares apresentadas à Lei Orçamentária. É mais uma demonstração de que os poderes se unem, quem ganha é o povo. É importantíssimo que a área social tenha sido contemplada pelas emendas porque mostra que os deputados valorizam o trabalho da assistência social”, disse.

Todo o processo de execução dos recursos foi acompanhado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação (CMA) da Seas. É a garantia de que o benefício realmente chega à ponta, atendendo as famílias e segmentos sociais que mais precisam do apoio do Estado.

“A Seas repassa o valor da emenda para cada instituição contemplada. Há toda uma fiscalização nesse processo, no qual cada entidade contemplada elabora um relatório mensal com as atividades realizadas. Este ano teve muitas emendas impositivas para acompanhar, e isso demanda uma grande responsabilidade. No entanto, finalizamos 2021 com a sensação de dever cumprido e satisfação com os resultados. Com tudo o que vivenciamos este ano, sabemos o quanto essas emendas mudam as vidas de quem mais precisa”, explicou Luana Paulain, coordenadora da CMA.

FOTOS: Miguel Almeida/Seas