Uma idosa foi resgatada depois de viver 72 anos em regime de escravidão em uma casa no Rio de Janeiro. A mulher dormia em um sofá e era cuidadora da dona da residência.

O Ministério do Trabalho relata que esse é o caso de escravidão mais longo já registrado no país. O órgão soube da situação da idosa há dois meses, após receber uma denúncia relatando o estado em que ela vivia.

Durante todo esse período, a mulher teve os documentos retidos pelo “patrão” e trabalhava apenas em troca de comida e um sofá para dormir, sem salário e sem nenhum direito trabalhista.

Uma assistente social que conversou com a idosa, diz que ela sequer tinha noção de que era escravizada, pois o homem que insistia em falar por ela, a ludibriava alegando que ela era como um membro da família.

A vítima nunca casou ou teve filhos e não tinha contato com nenhum parente. Ela vivia apenas para trabalhar para os moradores da casa.

A mulher foi resgatada no dia 15 de março e desde então está em um abrigo e o homem que se identificou como patrão dela deverá responder pelo crime, além de ter que indenizá-la por todo o tempo que trabalhou sem receber por isso.

Fonte: Yahoo