InícioBRASILIrmã de brasileiro foragido nos EUA é presa e corre risco de...

Irmã de brasileiro foragido nos EUA é presa e corre risco de ser deportada

EUA – Eleni Cavalcante, irmã do assassino brasileiro foragido Danilo Cavalcante, foi detida pelo serviço de Imigração e Controle de Fronteiras dos EUA e pode ser deportada, afirmou neste domingo (10) o tenente-coronel da Polícia Estadual da Pensilvânia, George Bivens.

Segundo o jornal americano The Philadelphia Inquirer, Bivens mencionou que Eleni foi presa por “questões de imigração”, mas não quis informar se ela também teria ajudado Danilo a se esconder da polícia depois que ele fugiu da Penitenciária do Condado de Chester, em 31 de agosto.

Sabe-se, no entanto, que ela tem conexões com pessoas que anteriormente ajudaram o fugitivo logo após ele matar sua ex-namorada, Deborah Brandão, em 2021.

Francisco Lima, namorado de Eleni, durante o julgamento de Danilo, admitiu que se encontrou com o criminoso depois de ele ter matado Deborah. Lima afirmou que ele e outro homem, Michael Scahill, ajudaram Danilo limpando e enfaixando suas mãos, que ficaram feridas após ele atingir sua ex-namorada com 38 facadas. Eles ainda forneceram roupas limpas e abasteceram o carro do assassino para que ele fugisse.

Lima também testemunhou que, antes de Danilo partir, deu a ele uma bolsa de dinheiro para ser entregue a sua irmã. Lima e Scahill receberam imunidade contra processos por ajudar Cavalcante em troca de seus depoimentos.

Bivens preferiu não comentar no domingo se os comparsas de Cavalcante na região o ajudaram em sua mais recente tentativa de fuga.

Ex-colegas

O brasileiro foragido também tentou entrar em contato com um ex-colega de trabalho na área de Phoenixville na noite de sábado (9), disse Bivens. O policial disse que o ex-colega, que mora em East Pikeland Township, não estava em casa quando Cavalcante chegou. Após revisar imagens de uma campainha com câmera, o ex-colega contatou a polícia.

Na noite de sábado, Cavalcante apareceu na casa de outro ex-colega de trabalho na área de Phoenixville, que também não estava em casa, disse Bivens. “Ele agora está tentando obter apoio de antigos colegas”, disse o tenente-coronel.

Fonte: R7


Artigos Relacionados

LEIA MAIS