Um dos itens que podem ser penhorados é o lendário carro Copersucar 1976, da Escuderia Fittipaldi, a única equipe originalmente brasileira da modalidade

A Justiça de São Paulo determinou, nesta terça-feira (21), a penhora de troféus e carros de corrida do ex-piloto brasileiro, bicampeão da Fórmula 1, Emerson Fittipaldi por causa de uma dívida estimada em R$ 416 mil.

A decisão foi tomada pela juíza Fabiana Marini em processo movido pela empresa Sax Logística de Shows e Eventos por conta da 6 Horas de São Paulo, uma prova de automobilismo do Campeonato Mundial de Marcas promovida por Fittipaldi em 2012.

A empresa de logística foi contratada na época para realizar o processo de liberação na alfândega dos carros e equipamentos necessários, o que incluiu o fretamento de aviões e contêineres. Porém os valores combinados não foram pagos na íntegra e a dívida é calculada hoje em R$ 416 mil.

Os bens que serão penhorados estão localizados em um imóvel da avenida Rebouças, em São Paulo, sede da empresa do ex-piloto. Um dos itens guardados ali é o lendário carro Copersucar 1976, da Escuderia Fittipaldi, a única equipe originalmente brasileira da F1.

Além do carro histórico, há ali alguns troféus, como a taça do bicampeonato mundial de Fórmula 1 (1974) e o troféu do Grande Prêmio Brasil de F1 realizado em Interlagos em janeiro de 1974.

 

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação