Manaus – O anúncio da contratação de 1.500 mediadores para atuar na educação especial nas Escolas Municipais de Manaus, conforme determina a Lei 13.146/2015, foi feito na manhã desta segunda-feira (21), da tribuna da Assembleia Legislativa, pelo presidente da Comissão de Promoção e Defesa das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Amazonas (CPDDCA-Aleam), o deputado estadual, Álvaro Campelo (Progressistas).

O direito, assegurado aos alunos com deficiência, veio após o deputado contactar com o secretário Municipal de Educação, Pauderney Avelino. Segundo o parlamentar, é uma demanda antiga por pais e mães de alunos PcD, que agora terão a segurança e cuidados necessários dentro das salas de aulas. “Tenho recebido o contato de mães e pais de crianças com deficiência, que tem essa demanda extremamente antiga de ter mediadores dentro de sala de aula. De imediato, entrei em contato com o secretário Pauderney, que me garantiu que, em breve, serão contratados mediadores para estarem dentro da sala de aula”, afirmou Álvaro.

Sobre o papel do mediador escolar, este profissional tem a função de acompanhar e auxiliar o estudante com deficiência a se adaptar e criar suas próprias ferramentas para usufruir do ambiente escolar. A Lei Brasileira de Inclusão (LBI) assegura a oferta de profissional de apoio para estudantes com deficiência matriculados em qualquer nível ou modalidade de ensino de escolas públicas ou privadas. De acordo com a legislação vigente, pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) também são consideradas com deficiência, e estão inclusas na assistência dos mediadores.