O Gavião do Norte terá mais três jogos decisivos em busca do acesso à segunda divisão do futebol brasileiro

Na tarde deste domingo (17/10), o Manaus Futebol Clube empatou em 1 a 1 diante do Ypiranga-RS, pelo Campeonato Brasileiro Série C. A partida disputada na Arena da Amazônia Vivaldo Lima seguiu os protocolos sanitários definidos pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP/AM) com o apoio da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar).

Espetáculo à parte, os quase 13 mil torcedores pagantes viram o Ypiranga abrir o placar com o atacante Quirino, que desviou a bola para o cantinho do gol manauara após cobrança de falta, logo aos 2 minutos de jogo.

O Gavião do Norte respondeu ainda na primeira etapa. Aos 20 minutos, o meia Gabriel Davis aproveitou bom cruzamento do lateral direito, Igor Carvalho, e empatou a partida com um gol de cabeça.

Disputado com bastante intensidade, Manaus e Ypiranga fizeram um segundo tempo com poucas oportunidades claras de gol para ambas as equipes. Apesar do incentivo e cânticos ininterruptos da torcida esmeraldina, o Gavião esbarrou no sistema defensivo do time gaúcho. Placar final: 1 a 1.

Situação na tabela – Agora, o Manaus terá mais três jogos decisivos pela Série C em busca do acesso. Com cinco pontos conquistados até aqui, a equipe amazonense é líder do grupo D, composto por quatro times. Destes, dois garantem a tão sonhada vaga para o Brasileirão Série B de 2022.

Protocolos – Com as exigências do ciclo vacinal completo contra a Covid-19,o  uso de máscara e  manutenção do distanciamento social, o jogo marcou a presença inédita da torcida amazonense em um jogo de Série C disputado pelo Gavião do Norte.

O vigilante Silvio Benjamin, 40 anos, esteve na arquibancada e ressaltou a alegria de ver a equipe amazonense em campo.

“Isso aqui não é só comemorando o jogo do Manaus, mas é comemorando a vida. A gente poder celebrar a volta aos estádios. Então é gratificante estar torcendo pelo acesso do Manaus. Eu sou Rio Negro, mas pelo esporte, pelo Manaus, eu visto a camisa do futebol amazonense, isso é o mais importante” afirmou.

Fotos: Mauro Neto/Faar