A Petrobras anunciou nesta terça-feira (15) a
assinatura de cartas de intenção com duas empresas asiáticas para o afretamento
de duas plataformas do tipo Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência
(do inglês FPSO).
 As FPSO são, na verdade, navios-plataforma
fundamentais para a extração de petróleo no pré-sal, pois, segundo a Petrobras,
podem produzir, armazenar e transferir petróleo e gás.
 As unidades vão integrar o projeto de
desenvolvimento da produção da revitalização dos campos de Marlim e Voador
(módulos 1 e 2), que ficam na Bacia de Campos.
 A empresa japonesa Modec e a malasiana Yinson
vão fornecer as plataformas que ficarão a cerca de 150 quilômetros da costa
brasileira, em lâminas d’água de aproximadamente 670 metros (FPSO Marlim 1) e
930 metros (FPSO Marlim 2).
 Segundo a Petrobras, a previsão para o início
da produção é a partir de 2022. Juntos, os dois projetos poderão processar até
150 mil barris de petróleo por dia e 11 milhões de metros cúbicos diários de
gás natural.

Fonte:  Agencia Brasil
Foto: Sterferson
Farias