TCE

A Prefeitura de Porto Alegre está considerando a construção de uma cidade temporária para abrigar famílias desalojadas devido às fortes chuvas na capital gaúcha. A proposta, ainda em fase de discussão, visa acomodar aproximadamente 10 mil pessoas em estruturas temporárias no bairro Porto Seco, próximo ao centro da cidade.

Autoridades envolvidas no projeto sugerem que a segurança dessa “cidade” seja assegurada pelas Forças Armadas, com a aplicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), envolvendo militares do Exército, Marinha e Aeronáutica na segurança pública do estado. No entanto, essa medida enfrenta resistência do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

O projeto será oficialmente apresentado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (15), durante a visita de uma comitiva presidencial ao estado.

Alguns membros do governo, em conversas informais com a imprensa, questionaram a viabilidade dessa medida, argumentando que a estrutura temporária poderia dificultar ainda mais o acesso da população aos serviços de assistência social.

Em contrapartida, críticos do projeto propõem a implementação de aluguéis sociais em residências vazias. Um levantamento interno da prefeitura identificou a existência de 100 mil imóveis desocupados após as tempestades, sugerindo uma alternativa mais viável para atender às necessidades das famílias desalojadas.

Fonte: CNN Brasil