Foi aprovado na Sessão Plenária desta quarta-feira (9), na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), o Projeto de Lei nº 229/2021, de autoria da deputada estadual Dra. Mayara Pinheiro Reis (Progressistas), que assegura, no âmbito do Sistema Estadual de Saúde, a reabilitação de pessoas com sequelas decorrentes da COVID-19, bem como o acesso aos medicamentos necessários durante todo o período previsto para o tratamento.

Segundo a parlamentar, embora tenha sido aprovado hoje, o PL é uma reivindicação feita ainda em 2021, quando o Amazonas enfrentou a segunda onda da pandemia.

“Este projeto foi proposto em 19 de maio de 2021, então é uma pauta de agora, teve que passar por todo processo de tramitação. Passamos pela primeira e segunda onda da Covid-19 e ouvimos muito falar sobre a questão das sequelas. Por isso esse PL é importante, pois as pessoas estão tendo dificuldade de se tratar com o especialista e mais, além do tratamento de reabilitação com a fisioterapia, elas precisam de medicamentos também”, justificou Mayara.

De acordo com a presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), estudos comprovam que a doença causada pelo Sars-Cov-2 é multissistêmica e afeta não apenas o sistema respiratório, como se cogitou no início da pandemia, mas outros órgãos do corpo humano, como o sistema cardiovascular, neurológico, levando a ocorrência também de trombose, fadiga e dificuldades respiratórias, que podem afetar até mesmo pacientes com casos menos graves.

As sequelas da Covid-19 podem se manifestar com tosse, falta de ar, ou opressão no peito, assim como refluxo, diarreia ou aceleração do trânsito intestinal, dores de cabeça, sensação de mal-estar e problemas de concentração.

A parlamentar aproveitou para ressaltar que, já existe um programa coordenado pela FAAR (Fundação de Alto Rendimento),  que tem apresentado ótimos resultados e resposta extremamente positiva por parte de nossa população, mas, explica que, o objetivo de sua propositura é estender a prestação desses serviços para a população do interior.

“Já existe o programa dentro da FARR, que trabalha com a fisioterapia, mas, nosso intuito é incluir a Secretaria de Estado de Saúde e fazer algo mais abrangente para que os pacientes tenham acesso às especialidades também nos municípios. Tenho certeza que vai ajudar muitas pessoas que estão passando por esse problema”, finalizou a deputada.