Amazonas – O Banco da Amazônia cumpre com a Agenda Ambiental, Social e de Governança (ASG) que orienta a implementação das políticas públicas e geração de resultados sólidos efetivos relacionados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e conta o produto Pecuária Verde, único na região voltado para capacitação do produtor rural na utilização das melhores tecnologias e práticas, sem desmatamento, com a manutenção das áreas a serem preservadas.

 

Por meio do Pecuária Verde, é implantado novos sistemas de produção e prestação de serviços ecossistêmicos, possibilitando ao pecuarista as melhores soluções que envolvam aplicações de tecnologias de baixo carbono, e paralelamente de rentabilidade, visando aperfeiçoar o desempenho da pecuária, considerando aspectos como: o bem-estar dos animais; a capacitação dos trabalhadores, ampliação da rentabilidade das fazendas e o planejamento do solo com base no potencial agropecuário, restaurando as áreas afetadas.

 

Por meio de uma linha de crédito, a Instituição estimula o pecuarista a utilizar as técnicas para melhoria produtiva da pecuária e naturalmente aumentando a capacidade de produção de riquezas naquela região. Após analisadas as necessidades do cliente, um projeto é elaborado, o pecuarista é certificado e estará apto a participar da ação, que tem como seu maior desafio diminuir o plantel em área produtiva pela pecuária utilizando os mesmos recursos naturais, com a rotação das pastagens e culturas, ocasionando a recuperação de áreas degradadas e transformando a economia tradicional em sustentável. O desenvolvimento do projeto se deu graças à ajuda de muitos parceiros envolvidos, como AFD – Agência Francesa de Desenvolvimento, GIZ – Agência Alemã de Cooperação Internacional e FiBraS – Finanças Brasileiras Sustentáveis.

 

Trata-se de uma linha de crédito para apoiar atividades da pecuária adequadas aos aspectos ambientais, principalmente na região amazônica, em combinação com programas de capacitação profissional e a aplicação de um sistema de monitoramento, relato e verificação (MRV). Para Augusto Barros, Técnico do BASA e Coordenador do Projeto, “é um passo essencial no caminho da transformação do crédito em mola propulsora da sustentabilidade na Amazônia”.

 

“A sustentabilidade faz parte de um dos valores mais importantes do Banco da Amazônia, todos os financiamentos são efetuados com análise socioambiental, e para isso criamos essa linha de crédito específica”, afirmou o presidente do Basa, Valdecir Tose.

 

Doze clientes foram pré-selecionados para esta primeira fase do projeto piloto. As cidades escolhidas para a execução foram Paragominas/PA e Boa Vista/RR devido às atividades pecuárias tradicionais e principalmente por já desenvolverem iniciativas verdes.

 

O pecuarista de Boa Vista-RR, Bechara Saab, é um desses cliente-piloto. Ele conta que é cliente do banco desde 1979 e que começou a adotar práticas sustentáveis a partir de 2019 em sua fazenda, onde desenvolve a pecuária há mais de meio século. Para Saab, o Pecuária Verde é um sistema que beneficia o meio ambiente e a produtividade. “Esse programa é muito importante para a Região Amazônica como um todo, é uma coisa maravilhosa, a não emissão de CO2 na atmosfera, alta produtividade, intensificação e principalmente a melhoria do solo é impressionante essa ideia da Pecuária Verde que estamos desenvolvendo”, disse.

 

Os projetos estão sendo desenvolvidos com o apoio da equipe do Basa e dos consultores do CIRAD – Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica para o desenvolvimento, Embrapa e Imaflora.

 

Pretende-se concluir o programa piloto até abril, concluída esta fase a abertura do Pecuária Verde será aberta concomitantemente a aplicação do produto para outros estados com maior aptidão, como o Maranhão e o Mato Grosso e claro para as demais unidades do Banco da Amazônia.

O Pecuária Verde pretende integrar-se ao Amazônia Protege, programa de combate ao desmatamento ilegal do Governo Federal e ao Sistema de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva e Bovinos e Bubalinas (SISBOV) que tem como objetivo o controle do processo produtivo.

 

De acordo com o gerente executivo de Produtos do Basa, José Alex, a inclusão dos demais programas do governo agregará um controle maior. “O Amazônia Protege e o SiSbov vão assegurar os acessos aos dados para impedir operações com propriedades envolvidas em desmatamento ilegal e também permitirá o acesso crescente dos mercados nacionais e internacionais”, comentou.

Estima-se que mil propriedades e cinco mil trabalhadores rurais serão beneficiados com capacitação, oportunidades de trabalho e acréscimo na arrecadação, visto que com a implantação de novas tecnologias de intensificação da produção é possível aumentar a produtividade até quatro vezes mais.

Os interessados em obter mais informações sobre este produto devem procurar os gerentes gerais de agências do Banco da Amazônia.