BRASIL – A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) encaminhou ofício ao Ministério Público do DF (MPDFT) e à Secretaria de Educação do DF, pedindo que os órgãos apurem a orientação de um sargento para que um aluno negro cortasse o cabelo, em unidade de ensino da rede pública local. O caso ocorreu na escola militarizada Centro de Ensino Fundamental 1, conhecida como Sapão, no Núcleo Bandeirante.

Nos documentos encaminhados, o presidente da comissão, deputado Fábio Felix (PSol), avalia que houve “tentativas de depreciação de gênero, bem como discriminação racial”.

A comissão pede que o caso seja investigado, “de modo a garantir o bem estar do referido estudante e sua família, bem como, da totalidade de estudantes afro-descendentes das escolas de gestão compartilhada do Distrito Federal”. Ainda solicita resposta em até 30 dias corridos, com o informe sobre as ações adotadas pelos órgãos.

Com informações de Metrópoles*