A votação da PEC do voto impresso que ocorreria nesta sexta-feira (16), no Senado, foi adiada. Uma nova reunião foi convocada para o dia 5 de agosto.

A sessão foi marcada por tumulto e alegações de falhas no sistema remoto. A bandeira é uma das principais defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro, que já chegou a ameaçar as eleições de 2022.

Para Bolsonaro, houve fraudes na votação de 2018 e com isso ele acusa o modelo de não ser confiável.

A PEC foi redigida pela deputada federal Bia Kicis e tem como relator o deputado Filipe Barros, ambos integrantes da base governista.