TCE


Foto: Pedro Bentes/Arquivo/G1
Não há informações sobre o
paradeiro do suspeito. Em depoimento à polícia, mãe diz que filha foi vítima do
mesmo crime aos 6 anos.
Por G1 RO — Porto Velho
Vítima foi atendida no Hospital
Infantil Cosme e Damião, em Porto Velho. 
— Foto: Pedro Bentes/Arquivo/G1Vítima foi atendida no Hospital Infantil
Cosme e Damião, em Porto Velho. 
Uma menina, de 9 anos, foi
estuprada dentro do banheiro de uma escola localizada na BR-364, em Porto
Velho. O caso foi registrado pela Polícia Militar (PM) na madrugada deste
sábado (5). Conforme o boletim da corporação, o crime foi descoberto após a mãe
da vítima notar indícios de estupro. Não há informações sobre o suspeito (se
ele foi identificado ou encontrado).
De acordo com o histórico da
ocorrência, uma equipe da PM foi chamada até o Hospital Cosme e Damião, unidade
onde a menina estava sendo atendida.
A mãe da criança contou aos
policiais que a menina estava na escola na manhã de sexta-feira (4), enquanto
ela estava no trabalho e que, ao chegar em casa às 19h, notou que havia uma
secreção na região íntima da menina. Ainda em depoimento à PM, a mãe disse que
a filha havia sido vítima do mesmo crime aos 6 anos de idade.
Ao questionar a criança sobre o
que teria acontecido dentro da escola, ela preferiu não contar nada de início.
Porém, por insistência da mãe, a menina explicou que foi abordada por um homem
na escola e, na sequência, levada por ele ao banheiro da instituição de ensino,
onde ocorreu o ato.
Perguntada sobre quem era essa
pessoa, a menina apenas detalhou as características do suspeito, sendo elas:
“senhor de cabelo grisalho, calvo, tinha cabelos grisalhos no peito,
estatura baixa meio forte, usava uma camisa regata” e “estava com uma
mochila de cor vermelha”.
A menina disse ainda que, após o
estupro, o homem trocou a camisa por uma de manga “com uma listra na ponta
da manga da camisa”.
A mulher contou também à polícia
que a filha seguiu à sala de aula depois do ato, enquanto o homem continuou
dentro do banheiro. A vítima não soube dizer para onde o suspeito foi, nem
mesmo se era funcionário da instituição de ensino.
Após o relato da filha, a mulher
a levou ao hospital, onde a médica de plantão averiguou a mesma secreção notada
pela mãe na região íntima da vítima. O crime foi registrado na 2ª Delegacia de
Polícia Civil de Porto Velho.
Ao G1, a direção da escola
informou não ter sido procurada pela mãe da criança sobre o caso e que vai à
polícia em busca de mais informações.
Maior taxa de estupro
Porto Velho teve a maior taxa de
estupro entre as capitais brasileiras durante 2018, segundo revela o Fórum
Brasileiro de Segurança Pública. Atualmente, a taxa é de 79,5 casos para cada
100 mil habitantes, o que faz a capital liderar o ranking de vítimas
violentadas sexualmente.
Ainda segundo o 13° Anuário
Brasileiro de Segurança Pública, os estupros cresceram 16% em Porto Velho no
último ano. Ao longo de 2018, a cidade teve 413 ocorrências de estupros. Já em
2017 foram 355 casos.
De acordo com o Fórum Brasileiro
de Segurança Pública, o crescimento no número de estupros coloca Porto Velho à
frente das grandes metrópoles, como Salvador, que tem quase 3 milhões de
habitantes. Na capital baiana, por exemplo, foram 352 estupros em 2018. Isto
representa uma taxa de 12,3 a cada 100 mil habitantes.
Porto Velho, com 560 mil
habitantes, também teve mais estupros do que Goiânia (GO), com 1,5 milhão de
habitantes, e São Luís (MA), com 1 milhão.
Segundo o Fórum Brasileiro, os
números de Porto Velho incluem os casos de estupro de vulnerável, isto é,
quando a vítima tem menos de 14 anos.