O 37º Distrito de Polícia Civil em Presidente Figueiredo/AM, realizou na manhã desta terça-feira (05/10), a operação “Auxílio Reclusão”, referente a fraudes no programa de auxílio emergencial, municipal.

Foram cumpridos 3 mandados de prisão temporária, e 05 mandados de busca e apreensão.

Esta operação é resultado de uma investigação policial, aberta a partir de uma denúncia feita pela própria prefeita Patrícia Lopes, que assim que teve conhecimento dos fatos, encaminhou todos para a apuração da Polícia Civil.

As investigações iniciaram a partir de denúncias feitas pela própria prefeita Patricia Lopes, de que os cartões do auxílio emergencial municipal, estariam sendo extraviados da secretaria municipal de assistência social, SEMASC, e estariam sendo trocados por dinheiro no comércio de Figueiredo.

Segundo a prefeitura, o benefício foi criado em fevereiro de 2021, com o objetivo de amparar cerca de 8.000 (oito mil) familiares em situação de baixa renda, durante o período da pandemia do covid-19, com o valor de R$ 600,00 (seiscentos reais) pago em três parcelas de R$200,00 (duzentos reais), através de um cartão de alimentação, administrado pela empresa ALELO.

De acordo com as investigações até o momento, considerando que eram 8.000 (oito mil) cartões, e segundo informações, pouco mais de 6.000(seis mil) famílias resgataram seus cartões, e considerando que restavam 954 (novecentos e cinquenta e quatro) cartões, calcula-se que em torno de 1.000 (mil) cartões podem ter sido extraviados e seus valores sacados indevidamente.

Considerando o valor de saldo de cada cartão de R$600,00, podemos ter um valor extraviado próximo a R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais).

Os investigados vão responder pelos crimes de associação criminosa, furto qualificado, peculato furto e usura pecuniária.