O Teatro Amazonas abrirá as portas para a improvisação do rap durante a 10ª edição do Festival Amazonas Jazz. O evento, que começa sexta-feira (22) e segue até o dia 30 de julho, reunirá em Manaus duas referências da cena nacional: o paulista Kamau e o brasiliense Raffa Santoro.

As atrações vão participar do show do grupo Marcelo Coelho & Mclav.In, no dia 24 de julho, às 19h, apresentando um experimento que une rap e jazz.

Conforme a organização do evento, o rap e o jazz têm relações que vão além da música. Culturalmente, os dois gêneros desempenham papéis transformadores que refletiram em suas sociedades contemporâneas, transgredindo padrões por meio da arte e da expressão politizada na música.

“Os primeiros flertes entre os estilos aconteceram nos anos 80, com a busca do rap por elementos jazzísticos. Na década seguinte, a lenda do jazz Miles Davis gravou seu último disco, o Doo-Bop, em parceria com o produtor musical de R&B e hip hop, Easy Mo Bee, coroando essa relação”, informou a organização do festival.

O público do Amazonas Green Jazz Festival poderá conferir as experimentações que são produzidas hoje, no Brasil, com a apresentação de Marcelo Coelho & Mclav.In, um dos projetos de pesquisa musical no qual o saxofonista e compositor de São Paulo explora a interdisciplinaridade entre música, literatura e imagem. Coelho é referência no cenário da música instrumental de vanguarda.

Um dos nomes é o veterano do rap, compositor, beatmaker e skatista paulistano, Kamau. Nascido Marcus Vinicius Andrade e Silva, o artista iniciou sua carreira em 1997 e é visto como responsável por pavimentar o caminho para muitos dos artistas em destaque na cena do rap atual. Desde então, já lançou os álbuns “Non Ducor Duco”, “Sinopse” e “Entre”, além do aclamado EP “Licença Poética”. Também já dividiu palcos e gravações com várias gerações do rap brasileiro e mundial.

Com ele, desembarca em Manaus o DJ Raffa Santoro, filho do compositor amazonense Claudio Santoro e figura-chave para a inserção de Brasília na cena hip hop. Atuando desde a década de 80 e respeitado nacionalmente, Raffa juntou as influências da música clássica e da bossa nova — que ouvia em casa com os pais — ao som que reverberava nas ruas periféricas do Distrito Federal. Com o lendário grupo “DJ Raffa e os Magrellos” gravou o terceiro LP de rap do país, “A Ousadia do Rap de Brasília”, rompendo a barreira do eixo Rio-São Paulo e levando visibilidade para o hip hop feito na capital federal.

Ingressos

Informações sobre os ingressos e a programação completa do evento estão no site amazonasgreenjazzfestival.com.br.

Foto: Aguilar Abecassis/Divulgação

 fonte: g1 AM