TCE


Manaus – Que as apostas esportivas estão em alta todos sabem, mas as expectativas ficam ainda maiores em ano de Copa do Mundo, com todo o planeta reunindo as atenções para a competição.

Sempre foram tradicionais nessa época os famosos bolões, apostando no resultado de cada jogo durante o evento, reunindo amigos e fazendo a sua entrada.

Porém, agora com as casas de apostas, como a Cyber Bet, é possível explorar diversos mercados, como o vencedor, placar exato, gols, escanteios e muito mais, oferecendo muitas possibilidades para os apostadores.

Inclusive, já é possível fazer apostas para a primeira rodada do Mundial, que será em novembro. Outros tipos de entradas que já ficam à disposição são as chamadas apostas futuras, como em quem será o campeão da Copa do Mundo 2022.

Porém, apesar de toda essa expectativa para os jogos e as apostas no período, o Brasil deverá deixar de ganhar bilhões em arrecadações, já que o país não tem legalização, o que impede que as empresas se regularizem em solo brasileiro, operando apenas de forma online.

Sem legalização, Brasil deixa de arrecadar altos valores

Em 2018, sob o governo do então presidente Michel Temer, o Brasil passou a liberar as apostas esportivas online. Dessa forma, desde então é possível fazer apostas pela internet sem estar infringindo a lei, mas essa ação acaba não gerando valores para o país.

As casas de apostas precisam de regulamentações para operar, e como as empresas não podem entrar no Brasil, buscam se regularizar em outros países e exploram os brasileiros de forma online. Com isso, toda a arrecadação com taxas e impostos vão para os locais de regulamentações de cada empresa.

Visando mudar isso, a Câmara dos Deputados conta com diversos apoiadores da legalização das apostas no Brasil, o que pode favorecer diversas modalidades, como apostas em esportes, cassinos, jogo do bicho e muito mais.

A expectativa era alta para que o país já chegasse na Copa do Mundo com esse cenário resolvido, mas o decreto de execução da Lei 13.756/18, que visava a regulamentação, foi engavetado pelo governo do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Com isso, as apostas seguem sem uma definição em solo brasileiro e a saída continua sendo as entradas por plataformas online, sem gerar receitas para o país. A expectativa de arrecadação com uma possível regularização no Brasil gira em torno de 3 bilhões de reais por ano.

Como comparativo com o cenário mundial, uma empresa especializada em consultoria empresarial, a Grand View Research, divulgou uma pesquisa que mostra que o mercado das apostas esportivas irá crescer 11,7% ao ano até 2030, chegando a US$ 153.6 bilhões.

Sendo assim, aos apoiadores resta aguardar para que um desfecho positivo ocorra no Brasil o quanto antes, já que os valores são altos e podem ser repassados para diversos setores, como programas de saúde, cultura e educação.

Como brasileiros podem apostar?

Como já citamos, no Brasil é liberado fazer apostas online, desde que seja maior de idade. Dessa forma, atendendo ao requisito basta escolher uma entre as diversas casas de apostas disponíveis e regularizadas.

Crie a sua conta na plataforma, sempre um processo bem rápido e simples. É necessário um processo de verificação de identidade, variando de cada empresa, mas que pode ser feito com uma confirmação via e-mail, por exemplo, além de envio de documentos como prática de segurança.

Com a conta criada, basta colocar saldo e usufruir de tudo o que a plataforma possibilita, sempre apostando com muita responsabilidade.

Com informações da assessoria