A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semseg), dentro das ações da operação Cheia 2022, iniciou, nesta quarta-feira, 14/6, a instalação de pontes e passarelas na avenida Eduardo Ribeiro, no trecho do Relógio Municipal, no centro histórico.

 

Com a subida das águas do rio Negro, o acesso de permissionários, lojistas e clientes foi comprometido e o trânsito na área foi interditado. A avenida Eduardo Ribeiro vinha sendo monitorada pela equipe da Defesa Civil e já constava no cronograma de atividades do órgão.

 

“As águas do rio Negro ainda devem subir um pouco mais, o que vai tornar inviável o acesso a essa área do Centro, sem as passarelas. A subida do nível do rio é um fenômeno da natureza e não pode ser controlado, mas a circulação das pessoas, nas áreas inundadas, isso a prefeitura pode garantir”, observou o secretário-executivo da Defesa Civil, coronel Fernando Júnior.

 

Devem ser construídos, só na Eduardo Ribeiro, 200 metros de pontes e até o momento mais de 7.500 metros foram erguidos em 15 bairros já afetados pela cheia, impactando ao menos 2.800 famílias, incluindo comunidades da zona rural, que já estão sendo atendidas pela gestão municipal.

 

A Defesa Civil segue atuando nas áreas alagadas, estendendo o comprimento de pontes nas áreas já construídas e sanitizando as águas paradas em alguns bairros, prevenindo a saúde das famílias contra a dengue e o mau cheiro causado pelos micro-organismos presentes.

 

A operação Cheia 2022 tem a atuação conjunta das secretarias municipais da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc); de Infraestrutura (Seminf); de Limpeza Urbana (Semulsp); de Saúde (Semsa); de Educação (Semed); de Comunicação (Semcom); Casa Militar; Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e o Fundo Manaus Solidária.

Foto – Altemar Alcântara / Semcom