Mundo – Subiu para 12 o número de mortos por complicações da variante Ômicron no Reino Unido. A informação foi confirmada pelo vice primeiro-ministro britânico, Dominic Raab, nesta segunda-feira (20).

Além dos 12 óbitos, há ao menos 104 pessoas hospitalizadas com a variante do novo coronavírus. As informações constam no último boletim epidemiológico divulgado pelas autoridades de saúde locais.

A cepa tem se alastrado rapidamente pelo globo. Somente o Reuno Unido soma mais de 37 mil casos da variante. Na última semana, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, havia confirmado o primeiro óbito pela variante na região.

A nova mutação do vírus foi detectada pela primeira vez na África do Sul, mas rapidamente se espalhou por todo o continente africano e pela Europa. A nova onda de contaminação fez com que países europeus retomassem medidas de restrição e criassem normas para incentivar a vacinação contra a Covid.

Cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade de Hong Kong afirmaram, na última quarta-feira (15), terem encontrados evidências para explicar porque a variante Ômicron está se espalhando rapidamente, mas provoca sintomas mais brandos do que as versões anteriores do coronavírus.

Um estudo feito em laboratório para analisar a capacidade de multiplicação do vírus em diferentes tecidos do corpo humano mostrou que a Ômicron infecta cerca de 70 vezes mais rápido do que a Delta e a cepa original do coronavírus nas vias aéreas durante as 24 horas após a infecção.

Esta característica pode facilitar a transmissão do vírus entre as pessoas, fazendo com que mais indivíduos adoeçam em um curto intervalo de tempo. Ao menos 77 países já relataram casos de Covid-19 relacionados à infecção pela Ômicron desde que ela foi descoberta por cientistas sul-africanos, em 24 de novembro.