TCE


Ana Maria Braga recebeu o médico Antônio Carlos Buzaid, especialista em oncologia, que a tratou do câncer no pulmão mais recente e explicou que a apresentadora ainda não está 100% curada. Ele tem a intenção de implantar a imunoterapia no SUS (Sistema Único de Saúde), e explicou como isso ajudou no tratamento de Ana Maria Braga.

“Fiz um tratamento de imunoterapia, que tem efeitos colaterais bem menores que a quimioterapia e me ajudou a estar viva aqui até hoje. Não existe melhor exemplo que o meu. Tive um câncer de pulmão, fiz uma tomografia e em janeiro de 2020, foi bem grave porque o tumor veio metástatico”, disse a apresentadora.

“Eu me lembro como se fosse hoje. O Doutor Douglas me ligou e disse que tínhamos problemas”, começou o médico.

Ele comentou algumas imagens da tomografia que Ana Maria Braga, onde mostrava que a apresentadora tinha o câncer espalhado pelo corpo, incluindo pulmões, rins e até no cérebro.

“Você é a mulher mais calma no consultório, porque não é possível uma pessoa se manter assim com uma situação preocupante. Na época, era necessário a início do tratamento com quimioterapia e imunoterapia e isso foi iniciado”.

Ana Maria Braga ainda questionou sobre as chances de cura e o médico contou: “Na época, de 10% a 20%. Não era muito alto, na época era grave”, disse.

AINDA NÃO ESTÁ 100%

O médico ainda revelou que um novo estudo o fez misturar a quimioterapia tradicional com duas novas drogas que poderiam ajudar no tratamento. “Acho que nós fomos bem com isso, pois em três anos e meio estamos aqui conversando. Agora, as chances de cura subiram muito. Três anos e meio depois em resposta completa, que é o termo que usamos, as chances vão para 90 e pouco”.

“Mas já está 100%”, brincou Ana Maria.

“Toda vez que você vem fazer exame no consultório, eu confesso que fico um pouco apreensivo”, brincou doutor Buzaid.

Ao finalizar, além dos exemplos com Ana Maria Braga, o médico explicou que é muito difícil um câncer se curar apenas com quimioterapia.

“É quase impossível a quimioterapia curar alguém isoladamente, só tive um caso de um câncer de pulmão em estágio avançado, por isso quero brigar para a imunoterapia entrar no SUS”.

 

 

Fonte: O Fuxico

Foto: Divulgação