InícioBRASILMP investiga jogadores de futebol por fraude em placar de campeonato

MP investiga jogadores de futebol por fraude em placar de campeonato

Na manhã desta segunda-feira (11), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) deflagrou a Operação Fim de Jogo, para cumprir dois mandados de busca e apreensão contra atletas da equipe de futebol do Santa Maria. Os alvos foram Alexandre Batista Damasceno, que veste a camisa 13 do time, e Nathan Henrique Gama da Silva, que atua como camisa 2.

 
 
Os dois jogadores teriam agido de forma deliberada para manipular placares de ao menos dois jogos do Santa Maria, durante o Candangão 2024, segundo as investigações.
 
A primeira partida foi contra o Ceilândia, em 3 de fevereiro último, no Estádio Abadião. O Santa Maria perdeu por 6 x 0. No segundo jogo, no último dia 18, o time jogou contra o Gama, no Estádio Bezerrão, e foi goleado por 5 x 0.
 
Além do envolvimento direto dos dois atletas em todos os lances que resultaram nos 11 gols desses jogos, segundo o Ministério Público, os investigadores conseguiram provas de que apostadores com palpites cadastrados para as duas partidas em sites especializados souberam previamente dos resultados.
 
As investigações revelaram, ainda, que os dois atletas tinham sido apontados como suspeitos de manipular jogos quando faziam parte da equipe do Desportiva Aliança.
 
O Gaeco também obteve provas de que William Pereira Rogatto, um aliciador de atletas para cometimento de fraudes esportivas, está envolvido com os crimes e com a gestão do Santa Maria. Contra ele, a Justiça expediu ordens de busca, apreensão e de prisão preventiva. Contudo, elas ainda não foram cumpridas, pelo fato de o investigado morar na Europa.
 
O time do Santa Maria, que disputou o Candangão 2024, terminou na última colocação e acabou rebaixado. A operação contou com apoio do Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor) da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).
 
 
Fonte: Metrópoles 
Artigos Relacionados

LEIA MAIS