Manaus/AM – Um homem de 26 anos foi preso no bairro Zumbi 2, na Zona Leste, durante a Operação Ângelus da Polícia Civil que desarticulou um esquema de pornografia infantil e exploração sexual de crianças na manhã desta terça-feira (19) .

Na casa dele foram encontrados diversos materiais pornográficos envolvendo crianças, bebês e até animais. “Em uma rápida vistoria, nós conseguimos identificar em um dos computadores, mais de 160 mídias de cunho pornográfico, envolvendo crianças abaixo de 10 anos de idade e até bebês inclusive em cenas de zoofilia”, explana a delegada da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Joyce Coelho.

Segundo ela, os vídeos eram compartilhados em um site proibido na “deep web”. Além de disseminar o material, o homem também é suspeito de estuprar algumas das vítimas que aparecem nas imagens.

A delegada explica que as investigações em torno do caso começaram há cerca de um mês, depois que uma mulher que manteve contato com ele pela internet, fez a denúncia. “Recebemos a denúncia via WhatsApp de uma pessoa que se comunicou com ele nesse aplicativo. Então o modus operandi, a forma de abordagem dele (…) é em site em que eles trocam essas mídias e ele acaba às vezes assediando a mulher e perguntando se ela curte esse tipo esse de mídia, ou então se ela tem algum parente criança que ela poderia levar para um encontro amoroso”, diz Joyce.

Na casa do suspeito, os policiais apreenderam três celulares, dois computadores e um notebook que devem passar por perícia. O homem foi preso em flagrante e nega o crime de estupro, mas confessou com detalhes como baixava e compartilhava os conteúdos clandestinamente. Ele segue prestando depoimento neste momento na delegacia especializada.

“Ele se diz pedófilo e só nega ter pratica do o ato com uma criança. Ele confessa a prática do armazenamento e compartilhamento das mídias, entretanto, como a gente já vinha com esse monitoramento, há indícios de que ele tenha abusado de crianças do convívio dele. Essas crianças serão ouvidas, se confirmada a gente vai ter outro inquérito de estupro de vulnerável”, pontua.

Fonte: Portal do Holanda