TCE


Em período de forte calor e aumento no consumo de aparelhos de ar-condicionado, aumenta a preocupação em torno da regularidade do fornecimento de distribuição de energia elétrica. A fim de manter a estabilidade do sistema e evitar o desabastecimento, a Amazonas Energia tem intensificado as inspeções para coibir irregularidades, como desvios na rede de distribuição e fraudes em medidores, que prejudicam a qualidade da distribuição regular de energia.

De janeiro a setembro de 2023, expediu-se mais de 126 mil ordens de serviço. Cerca de 90 mil inspeções foram realizadas neste período pelo Departamento de Inteligência no Combate às Fraudes (DRI) e pelo Departamento de Combate às Perdas da Amazonas. De acordo com dados da distribuidora, já foram recuperados, desde o começo do ano, mais de R$ 100 milhões em energia que era desviada, prejudicando o consumidor regular.”

“Temos intensificado as operações de vistoria em todas as zonas da cidade, principalmente neste período de maior calor no ano, nosso objetivo é manter a estabilidade do sistema e não prejudicar o consumidor regular, que não pode pagar pela fraude e pelo desvio de energia”, declarou Wagner Ferreira, coordenador das equipes de inspeção da Amazonas Energia.

De acordo com o diretor Institucional e Técnico do Interior, Radyr Gomes, as operações são realizadas após a formalização de denúncias e também pelo monitoramento permanente do sistema.

“Conseguimos identificar as áreas onde existem sinais de desvio recorrentes, o que aumenta a assertividade das operações, que podem chegar a 70% ou 80%”, declarou. Isso significa que em até 80% das operações de vistorias, encontramos anomalias, entre desvios, irregularidades na medição ou nos medidores.

Combate constante ao furto

Este ano, uma reportagem exibida em rede nacional de televisão, com base nos dados da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), destacou que o Amazonas é o estado que mais sofre com os furtos de energia. “Proporcionalmente, a região Norte é onde ocorre as maiores perdas. No Amazonas, os desvios na rede elétrica chegam a quase 120%, ou seja, a quantidade de furtos é maior do que o faturamento com as ligações regulares”, destacou a matéria do Jornal Nacional.

Em 3 anos, as perdas não técnicas no Amazonas já custaram cerca de R$ 2,5 bilhões aos clientes, impactando negativamente, também, em investimentos de melhoria de distribuição.

A Amazonas Energia, concessionária responsável pela distribuição de energia nos 62 municípios amazonenses, reiterou que o problema da falta de receita compatível com o investimento traz sérios prejuízos. “O índice de furto de energia no Amazonas já ultrapassou o percentual de 42%. Ao ano, esse prejuízo chega a quase R$ 500 milhões de reais, que são cobrados na tarifa para os consumidores regulares. Nosso projeto de combate ao furto vai diminuir essa prática e, consequentemente, tornar a tarifa da Amazonas Energia mais acessível e competitiva”, explicou Radyr Gomes.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Amazonas Energia

Foto: Divulgação